A Uber Technologies Inc. teve uma ideia reveladora depois de transportar seu bilionésimo passageiro nas férias: as pessoas estão passando muito tempo nos carros da companhia. Por que não ajudá-las a se distrair ou a trabalhar?

A empresa de transporte solicitado está lançando um novo recurso, chamado Trip Experiences, que possibilitará que desenvolvedores terceirizados enviem notificações e conteúdos personalizados aos passageiros durante o trajeto, se eles autorizarem.

Em uma publicação de blog na terça-feira, a Uber disse que essa atualização é a maior feita na interface do aplicativo desde o lançamento do serviço Ride Request em março.

Alguns exemplos do que o Trip Experiences poderia oferecer: uma lista de reprodução de músicas com a duração do trajeto, uma atualização de cinco minutos com notícias, críticas sobre o restaurante que o passageiro está prestes a ir ou um lembrete para ligar o ar-condicionado no caminho para casa.

A Uber, empresa avaliada em US$ 62,5 bilhões que opera em mais de 300 cidades, está tentando ser mais que um serviço internacional de transporte. E, em meio às guerras de preços com concorrentes como a Lyft e outras em todo o mundo, a companhia está tentando oferecer recursos que as rivais não têm.

A Uber testou a entrega de alimentos e encomendas em algumas cidades e está trabalhando em novas tecnologias, inclusive com carros autônomos.

A empresa espera se integrar com o maior número possível de aplicativos de terceiros e menciona os acordos com a United Airlines, com a StubHub e com o Messenger da Facebook como modos em que tornou mais prático para que as pessoas solicitem seu serviço enquanto fazem outra coisa.

Público cativo

Embora o objetivo declarado da Uber com Trip Experiences seja “ajudar a simplificar e facilitar o transporte das pessoas”, essa também poderia ser uma oportunidade para fazer propaganda para um mercado cativo.

“Acho que é muito importante que esse recurso seja opcional para os usuários, porque a Uber está tentando transitar na linha tênue de monetizar sua crescente base de usuários sem aliená-la”, disse Paul Sweeney, analista da Bloomberg Intelligence.

A Uber sabe que os usuários podem se chatear por serem alvos de propagandas, por isso eles podem desativar esse recurso a qualquer momento. No tutorial destinado aos desenvolvedores, a Uber não aconselha os aplicativos que enviam spam aos passageiros.

“Sabemos que o tempo das pessoas é precioso e que às vezes os passageiros só querem descansar e relaxar em paz”, disse Chris Saad, diretor de produto e da plataforma de desenvolvedores da Uber, na publicação de blog que anunciava o recurso.

“Por isso, os usuários terão o controle absoluto”.

Tópicos: Tecnologia, Uber