São Paulo - O Twitter está literalmente alçando novos voos para seus negócios. Assim como já fizeram anteriormente Amazon, Facebook e Google, a empresa está interessada em trabalhar com drones.

Pelo menos é o que parece mostrar um pedido de patente requerido pela empresa e aprovado na última semana nos EUA: uma aeronave não tripulada capaz de tirar fotos e de gravar vídeos, que poderão em seguida ser transferidos para as contas dos usuários da rede social.

Questionado pela emissora norte-americana CNBC, um porta-voz do Twitter foi bastante conciso: "Duas palavras: drone selfies (selfies feitas por drones)". A frase faz referência ao Dronie, equipamento usado pela empresa para a cobertura do festival de Cannes em junho do ano passado.

Ainda não está claro o que a empresa planeja fazer com o aparelho, mas no documento da patente, o Twitter sugere que o drone poderia ser controlado "através de meios democráticos."

Segundo a empresa, as ações de curtir um post, retuitar e responder poderiam ser usadas para controlar a direção do drone e a hora de parar e começar uma gravação ou tirar uma fotografia.

Além disso, ele poderia ser empregado em entrevistas e em transmissões de eventos ao vivo na rede social. No início deste ano, o Twitter lançou o aplicativo Periscope, voltado para a transmissão de vídeos ao vivo nas contas da rede social.

A expectativa é de que a empresa desenvolva uma conexão entre a ferramenta e o drone. Porém, é importante ressaltar que o registro da patente não comprova que a empresa realmente tem planos para construir o equipamento.

Tópicos: Amazon, Empresas, Comércio, Empresas americanas, Empresas de internet, Lojas online, Drones, Facebook, Redes sociais, Internet, Empresas de tecnologia, Twitter