São Paulo - A base de assinantes do serviço de TV paga se aproxima de 30% dos lares brasileiros, conforme dados divulgados nesta segunda, 1º, pela Anatel.

Em julho, o serviço contava com 19,08 milhões de assinantes, chegando a 29,18% dos lares, segundo o indicador "Densidade dos Serviços de TV por Assinatura", que é a relação percentual entre o número de assinaturas e o número de domicílios estimado a partir dos dados publicados pelo IBGE.

A unidade federativa com a maior densidade do serviço é o Distrito Federal, com penetração de 55,72% dos lares, seguida de São Paulo (49,82%) e Rio de Janeiro (45,63%).

A região com maior espaço para expansão do serviço é a Nordeste, com 2,28 milhões de assinantes, densidade de apenas 13,43%.

Em sequência vêm as regiões Norte, com penetração de 17,31% (828 mil assinantes); Centro-Oeste, em 26,78% dos lares (1,35 milhão); Sul, chegando a 28,66% das casas (com 2,86 milhões); e Sudeste, que puxa a média nacional para cima com penetração de 41,39%, chegando a 11,74 milhões.

Grupos

Entre os grupos de operadoras com mais de 100 mil assinantes, Sky, Big Brasil e Algar foram os que perderam assinantes no período de um mês. Telmex, Oi, GVT, Telefônica e Nossa TV ampliaram suas bases.

Operadora Junho Julho
Telmex (Claro/Embratel/Net) 10.105.578 (53,28%) 10.177.145 (53,32%)
Sky 5.616.713 (29,61%) 5.616.642 (29,42%)
Oi 886.554 (4,67%) 918.395 (4,81%)
GVT 799.311 (4,21%) 803.448 (4,21%)
Telefônica 687.810 (3,63%) 700.747 (3,67%)
Big Brasil 159.195 (0,84%) 158.655 (0,83%)
CTBC Telecom 133.282 (0,70%) 130.390 (0,68%)
NossaTV 113.748 (0,6%) 115.308 (0,6%)

Operadora

Pela primeira vez, a Anatel passou a descriminar a tecnologia de distribuição Fiber to the Home, até então computada em conjunto com a distribuição por cabo. Os assinantes que recebem o serviço por fibra já são 67,15 mil, ou 0,35% da base.

Cabo e DTH ampliaram suas bases de assinantes em um mês, de 7,15 milhões para 7,2 milhões e de 11,73 milhões para 11,78 milhões, respectivamente.

No entanto, o satélite perdeu participação de mercado em 0,09 ponto percentual, fechando o mês com uma fatia de 61,76%; enquanto o cabo (já contabilizada a separação da tecnologia FTTH) avançou 0,07 ponto, chegando a 37,81%. MMDS e TVA mantiveram participações de 0,7% e 0,2%, respectivamente.

Tópicos: Setores, Serviços diversos, Tela Viva, Telecom, Telecomunicações, TV, Televisão