São Paulo – Uma infinidade de estudos científicos já ligou a qualidade da vida sexual de um casal à felicidade no relacionamento. Pois duas novas pesquisas realizadas pela Universidade de Toronto se dedicaram a examinar por que, afinal, um casal pratica sexo e como estes motivos podem impactar diretamente nos níveis de satisfação em relação à vida a dois.

Lideradas pela doutora Amy Muise e divulgadas neste mês no Boletim de Psicologia Social e da Personalidade, as pesquisas constataram que as razões que levam uma pessoa a ir para a cama com o seu parceiro podem definir o grau do seu desejo sexual, a sua satisfação e também a maneira como sua cara metade se sente em relação ao ato.

Em um uma série de posts publicados no site Science of Relationships, Amy explicou que o primeiro estudo consistiu em dividir em duas categorias os motivos que levam pessoas a fazer sexo: aproximar e evitar.

O primeiro grupo é formado por pessoas que alegam fazer sexo para estreitar laços com seu parceiro, melhorando a intimidade entre os dois. Já o segundo conta com aqueles que praticaram o ato para não desapontar o outro e para evitar conflitos.

Em seguida, foram elaborados cenários que ilustraram as categorias acima com personagens fictícios. Foi pedido então que os participantes informassem a sua percepção sobre como tais personagens estariam se sentindo naquela situação.

O segundo estudo teve como objetivo avaliar os sentimentos dos entrevistados em relação a eles mesmos. Durante várias semanas, os casais participantes preencheram formulários nos quais deveriam responder se estavam felizes, os motivos que o levaram a praticar sexo e o grau da sua satisfação.

A conclusão em ambos estudos foi a de que a prática do sexo por motivações ligadas à primeira categoria foi associada a altos níveis de desejo e satisfação. Em contrapartida, nos dias em que os entrevistados transaram por razões ligadas a outra categoria, estes descreveram sentimentos menos positivos.

E mais: fazer sexo apenas para deixar o parceiro feliz, ou qualquer outra justificativa similar, tem o efeito contrário. Os entrevistados que passaram por esta situação relataram baixos níveis de satisfação e desejo. “Estas pessoas tem experiências sexuais menos positivas e se sentem piores no relacionamento”, descreveu Amy.

Mas qual seria então a solução para os dias em que a vontade de uma pessoa está associada à motivos negativos? Não fazer sexo? Bom, de acordo com a cientista, os casais descreveram estarem mais felizes nos dias em que praticam a relação sexual, independente das razões para tal, em comparação com os dias em que nada acontece entre quatro paredes.

Tópicos: Ciência, Pesquisas, Sexo