São Paulo -- Apenas seis meses depois de lançar o Galaxy Gear, o relógio inteligente que foi o mais vendido do mundo em 2013, a Samsung apresentou seus sucessores: o Gear 2 e o Gear 2 Neo.

O anúncio foi feito durante o Mobile World Congress, que acontece nesta semana em Barcelona. A ausência da palavra Galaxy no nome desses novos gadgets tem um motivo.  Diferentemente do Galaxy Gear, que roda Android, o Gear 2 e o Gear 2 Neo usam o sistema operacional Tizen. 

A Samsung não deu informações sobre a compatibilidade dos novos modelos com aplicativos criados para o Galaxy Gear. A boa notícia é que, segundo a empresa, o Gear 2 e o Gear 2 Neo poderão ser usados com “dúzias” de smartphones da Samsung.

É um avanço em relação ao Galaxy Gear, que, no lançamento, só podia ser usado com o Galaxy Note 3 (depois ele se tornou compatível com alguns outros modelos). Mas, ao que parece, o Gear 2 ainda não vai funcionar com smartphones de outras marcas.

Como o Galaxy Gear, o Gear 2 e o Gear 2 Neo funcionam como extensões do smartphone, comunicando-se com ele via Bluetooth. Podem exibir notificações e informações provenientes do smartphones na telinha quadrada de 1,63 polegada.

Eles também funcionam como controles remotos para aparelhos de TV e outros eletrônicos da Samsung. 

Além disso, os novos modelos trazem um player de música próprio, que pode ser usado mesmo quando não há um smartphone por perto (o que se torna mais cômodo com um fone de ouvido sem fio, com conexão Bluetooth). 

Os dois novos relógios também trazem sensor de batimentos cardíacos, que vai trabalhar em conjunto com apps de saúde e condicionamento físico. A Samsung lista, ainda, funções de pedômetro (contador de passos) e monitor de exercícios. 

O relógio poderá ser usado sozinho para registrar corridas e caminhadas urbanas. Quem pratica ciclismo ou caminhadas de longa distância, em trilhas, terá de levar o smartphone junto. O usuário também vai poder baixar apps para monitoramento do sono.

A diferença entre o Gear 2 e Gear 2 Neo é que o Neo não possui câmera. Por isso, é um pouco menor e pesa alguns gramas a menos. 

No Gear 2, a câmera de 2 megapixels fica na borda do próprio aparelho; não na pulseira como acontecia no Galaxy Gear. Graças a essa mudança, o relógio terá pulseiras intercambiáveis.

Os dois novos relógios inteligentes começarão a ser vendidos em abril em muitos países (mas não sabemos se o Brasil é um deles). A Samsung não divulgou preços.

A Samsung ainda tem um grande lançamento a fazer no Mobile World Congress. Nesta tarde, ela vai apresentar o Galaxy S5, seu smartphone mais poderoso. A apresentação terá cobertura ao vivo de EXAME.com, começando às 16h.

Tópicos: Computação vestível, Galaxy Gear, Relógios inteligentes, Galaxy, Mobile World Congress, Relógios, Empresas, Samsung, Indústria eletroeletrônica, Empresas coreanas, Empresas de tecnologia