São Paulo – A G4S, uma empresa de segurança, tem um novo reforço em seu escritório, na cidade de Tewkesbury, na Inglaterra. O robô Bob está fazendo uma espécie de estágio no escritório da empresa durante este mês.

Entre as funções de Bob estão: patrulhar o escritório, verificar se portas estão devidamente fechadas e perceber se objetos desaparecem. Ele consegue comprar imagens de um mesmo ambiente captadas em momentos diferentes e perceber se algo foi subtraído. 

Bob é fruto de desenvolvimento de pesquisadores na Universidade de Birmingham, na Inglaterra. Nick Hawes, professor e pesquisador de inteligência artificial, é o líder da pesquisa.

“Nós queríamos construir um robô inteligente e autônomo que pudesse ser colocado em um ambiente real, como um espaço de trabalho”, afirmou o Dr. Hawes em um comunicado à imprensa.

Hawes reforça que os robôs atuais ainda não lidam bem com tarefas manuais, como manipular objetos. Bob, no entanto, é bom em empreitadas como passear por um escritório e tomar conta de objetos. “Ele é perfeito para um trabalho como vigia que pode monitorar o que acontece em tempo real ao seu redor”, define Hawes.

Para isso, Bob usa um software especialmente desenvolvido para que ele seja capaz de mapear e navegar um ambiente. Ele usa câmeras e escâneres para identificar mesas, cadeiras e outros possíveis objetos de um escritório.

Bob é fruto de uma pesquisa de 7,2 milhões de libras (cerca de 27 milhões de reais) e faz parte do projeto STRANDS. O foco do projeto é desenvolver robôs autônomos que consigam se virar no mundo real.

Outra função proposta pela equipe do Dr. Hawes é que eles sejam capazes de ajudar em tarefas domésticas, como auxiliar pessoas que precisem de cuidados.

Tópicos: Inglaterra, Países ricos, Inteligência artificial, Robôs, Segurança, Tecnologia