Junto de toda essa conversa de como o tempo que passamos encarando nossas diversas telas não para de crescer, vemos algumas tentativas de desconexão, que nos ajudam a desviar o olhar pra rua, como o irônico projeto iPhone Alert Stickr e a aventura de um jornalista da Wired ao tentar passar suas férias longe da tecnologia.

Junto à estas ideias, está o projeto Real Life Instagram, do brasileiro Bruno Ribeiro, diretor de criação e atualmente aluno da Hyper Island.

A ideia é simples: Bruno espalhou ao redor de algumas cidades filtros similares aos que o Instagram oferece. Não deu outra: misturando surpresa e contemplação, as pessoas pararam para observar e, como fruto de qualquer boa novidade, aproveitaram para tirar suas fotos.

Feitos de papel cartão e filme colorido, os filtros foram posicionamos em pontos estratégicos e fotográficos das cidades, imitando os símbolos e conteúdos como se fosse seu próprio post no Instagram.

Os resultados são de uma sutileza cômica, uma simples brincadeira que consegue fazer com que os apressados e imersos em suas telas olhem de forma diferente aqueles lugares pelos quais sempre passam sem reparar.

Juntando a atual obsessão (e possibilidade) de se fotografar tudo e de diferentes formas, e a tempestade do virtual ensopando o mundo real com novos símbolos, mídias e linguagens, o projeto acaba refletindo todas essas persistentes divergências entre analógico/digital e conectar/desconetar, combinando tudo em uma coisa só, como deve ser.

Tópicos: Fotografia, Instagram, Empresas de internet, Internet, Redes sociais, Tecnologia