São Paulo — EXAME.com acionou sua bola de cristal (na verdade, uma simples planilha no Excel) para tentar prever os preços e a data de chegada ao Brasil do iPad mini, que a Apple anunciou ontem. Uma estimativa razoável para o preço da configuração mais simples é 1.099 reais. Já a data de início das vendas é mais incerta. Pode ser antes do Natal ou em janeiro. 

Vejamos alguns detalhes, começando pelos preços. Em média, um iPad custa 47% mais no Brasil que nos Estados Unidos. A diferença é maior nos modelos mais baratos, chegando a 61% no caso do iPad 2 com Wi-Fi apenas. Ela é menor nas configurações mais caras, reduzindo-se a 37% no caso do iPad com tela Retina, conexão 3G/4G e 64 GB de memória.

Com base nisso, acrescentamos de 39% a 65% aos preços americanos do iPad mini (dependendo da configuração) para ter uma ideia de quanto o tablet vai custar no Brasil. O modelo mais simples ficaria em 1.099 reais; e, o mais caro (com 64 GB de capacidade e conexão 3G/4G), 1.849 reais. Este último é também o preço do iPad com tela Retina na configuração com acesso à internet via Wi-Fi e 32 GB de capacidade.

Naturalmente, nada disso é garantido. A Apple pode decidir ser mais agressiva no mercado brasileiro (que é notoriamente sensível a preço) e lançar o iPad mini mais simples por 1.049 reais ou mesmo 999 reais. Mas, considerando a força da marca Apple e a ausência de concorrentes como o Google e a Amazon no Brasil, a empresa da maçã parece não ter motivos para baixar muito o preço aqui. 

Se essas previsões já são arriscadas, estimar a data de chegada dos novos iPad é ainda mais difícil. O “novo” iPad (de terceira geração) demorou 65 dias para começar a ser vendido oficialmente no Brasil depois de ser apresentado por Tim Cook e sua equipe. Se somarmos 65 dias à data de ontem, quando o iPad mini foi revelado, teremos 27 de dezembro. Essa data, é claro, é péssima para um lançamento de produto. 

Então, fica a dúvida: a Apple vai antecipar o lançamento para antes do Natal ou deixá-lo para janeiro? A logística da empresa tem melhorado no Brasil nos últimos anos. O iPad original demorou dez meses para chegar ao país. O iPad 2 levou três meses; e, o novo iPad (de terceira geração), pouco mais de dois meses. Se essa tendência continuar, um lançamento antes do Natal é uma possibilidade.

O iPad mini tem tela de 7,9 polegadas e é muito leve e fino. Sua espessura, 7,2 milímetros, é menor que a do iPhone 5. Ele pesa pouco mais de 300 gramas, menos da metade do peso do iPad com tela Retina. A resolução é a mesma do iPad 2, 1.024 x 768 pixels. No entanto, como a tela é menor, o iPad mini tem maior densidade de pixels, o que deve trazer a sensação de melhor qualidade de imagem. Como seus irmãos maiores, ele tem duas câmeras. A principal, na traseira, é de 5 megapixels.

Junto com o iPad mini, a Apple anunciou a quarta geração do iPad de 9,7 polegadas, que a empresa chama simplesmente de iPad com tela Retina. Esse novo modelo é visualmente idêntico ao “novo” iPad lançado no início deste ano. Ele traz duas novidades principais.

A primeira é o processador A6X, mais potente que o A5X usado anteriormente. A outra é o conector de dados Lightning, que estreou no iPhone 5 e é usado também no iPad mini. Esse novo iPad de 9,7 polegadas também deve chegar ao Brasil em dezembro ou janeiro. Nos Estados Unidos, seus preços serão os mesmos do iPad com tela Retina de terceira geração, que está sendo descontinuado. A mesma coisa deve acontecer aqui.

Tópicos: Apple, Empresas, Tecnologia da informação, Empresas americanas, Empresas de tecnologia, iPad, Tablets, iPhone e iPad, iPad 3, iPad 4, iPad mini