Los Angeles - A aparição de duas misteriosas plataformas flutuantes nas duas faixas litorâneas dos Estados Unidos gerou rumores nos últimos dias na imprensa do país sobre um suposto projeto secreto do Google, que a companhia estaria escondendo em plena luz do dia.

As estruturas, vigiadas por um forte esquema de segurança, são formadas por grandes contêineres dispostos em quatro andares diferentes sobre uma barcaça de carga de mais de 1,6 mil metros quadrados que, para se deslocar, necessita da ajuda de rebocadores, segundo informações reveladas pelo site "CNET", responsável pelas primeiras especulações.

Atualmente, uma das plataformas está amarrada a um píer em Treasure Island, na baía de San Francisco, onde estão sendo feitos trabalhos de construção, enquanto a outra está ancorada no porto de Portland, no estado do Maine, na costa leste.

As duas plataformas pertencem à mesma companhia, By and Large LLC, que segundo o "CNET" tem relação com Tim Brandon, que, por sua vez, é ligado ao Google.

Nas imagens da peculiar estrutura na baía de San Francisco é possível ver também um iate com as mesmas características de um pertencente a Larry Page, co-fundador e atual executivo-chefe do Google.

A empresa de internet não confirmou, nem desmentiu seu envolvimento com as estruturas flutuantes, apesar das reiteradas perguntas da imprensa, inclusive da Agência Efe, o que acabou levando a diferentes teorias sobre quais são as intenções do Google.

A versão mais divulgada é que o Google estaria preparando uma série de data centers flutuantes que seriam mais econômicos que os situados em terra, já que o mar proporcionaria água fria ilimitada e de fácil acesso para a refrigeração dos sistemas e serviria também como fonte de energia.

O Google obteve um patente em 2009 para desenvolver data centers aquáticos.

Um canal local de San Francisco especula que as plataformas serão transformadas em lojas do Google, similar a de suas concorrentes Apple e Microsoft, e que passarão por todos os continentes para oferecer os produtos da empresa, entre eles a mais recente novidade, o Google Glass.

O jornal "Los Angeles Times" publicou nesta terça-feira que entre as opções especuladas sobre a finalidade das estruturas estão: laboratórios para os projetos mais secretos do Google, um refúgio contra grandes catástrofes e, inclusive, uma área de lazer para os executivos da empresa.

Tópicos: Google, Empresas, Tecnologia da informação, Empresas americanas, Empresas de tecnologia, Empresas de internet, Pesquisa e desenvolvimento, Tecnologia