Washington - Passageiros de companhias aéreas poderão usar seus aparelhos eletrônicos durante toda a viagem para ler, trabalhar, jogar, assistir filmes e ouvir música, mas não falar em seus telefones celulares, de acordo com as novas diretrizes divulgadas nesta quinta-feira pela Agência Federal de Aviação Civil dos Estados Unidos (FAA, pela sigla em inglês).

Mas as mudanças não entrarão em vigor imediatamente. A velocidade das implementação da nova regra varia de empresa para empresa, disse o administrador da FAA, Michael Huerta, em coletiva de imprensa.

As companhias aéreas terão de mostrar à FAA que seus aviões atendem às novas diretrizes e que estão atualizando os manuais de treinamento de sua tripulação e as regras para a guarda dos artefatos, de modo que reflitam as novas regras.

Atualmente, os passageiros têm de desligar seus smartphones, tablets e outros eletrônicos assim que as portas do avião são fechadas.

Eles também não podem religá-los até que a aeronave alcance 10 mil pés de altitude e o capitão anuncie a permissão. Os passageiros devem desligar seus aparelhos novamente quando o avião inicia a descida e só podem voltar a ligá-los quando a aeronave está em solo.

Pelas novas diretrizes, as empresas cujos aviões estiverem adequadamente protegidos de interferências eletrônicas poderão permitir que seus passageiros usem seus equipamentos eletrônicos durante decolagens, aterrissagens e quando o avião está taxiando, disse a FAA. A maioria das aeronaves que já sofreram modificações que permitem que os passageiros usam o Wi-Fi em altas altitudes devem atender ao novo critério.

Mas entrar na internet, trocar e-mails, mensagens de texto ou baixar dados continuará proibido em altitudes abaixo de 10 mil pés (3 mil metros), disse a agência. Os passageiros terão de colocar seus smartphones, tablets e outros aparelhos no modo avião e aparelhos mais pesados, como laptops, ainda terão de ser armazenados por causa do temor de que possam ferir alguém caso se soltem.

Ligações com telefones celulares também continuarão proibidas. A regulação para celulares é de responsabilidade da Comissão Federal de Comunicações (FCC, na sigla em inglês), e não da FAA. Fonte: Associated Press.

Tópicos: Aviação, Setores, Setor de transporte, Tecnologia