São Paulo – Apesar de ter sua origem datada nos idos do século XV, época do Renascimento, o autorretrato provavelmente nunca esteve tão no centro das atenções quanto nos últimos anos, especialmente com a popularização das “selfies” (abreviatura para “self portrait”) internet afora.

Em 2013, o termo ganhou um registro na versão eletrônica do dicionário Oxford, que ainda o consagrou com o título de “palavra do ano” no início de novembro. A decisão, revelou a publicação, aconteceu depois que foi detectado um aumento de mais de 17.000% no uso da palavra “selfie” entre 2012 e 2013.

Semanas depois, ela voltou aos holofotes quando um poderoso trio registrou seu autorretrato durante um dos serviços do funeral de Nelson Mandela. Composta pelo presidente Barack Obama e os primeiros-ministros David Cameron e Helle Thorning-Schmidt (Reino Unido e Dinamarca), a imagem que os mostra capturando a badalada “selfie” prontamente correu o mundo.

Considerando a internet como um todo, explicou o Oxford, o primeiro registro conhecido da palavra “selfie” aconteceu em 2002. Na ocasião, ela apareceu na legenda de uma imagem publicada em um fórum australiano e que mostrava o resultado de uma noite de bebedeira entre amigos.

Usada em mais de 57 milhões de imagens no Instagram, a hashtag “#selfie” conquistou os usuários da rede social, entre anônimos e celebridades. A primeira da história do app a usar o termo foi publicada no final de 2010.

Na época, a neozelandesa Jen Lee desejava mostrar seu novo suéter para seus seguidores. Com pouco mais de 190 “curtir”, a imagem recebeu o registro como “#selfie” pouco depois da sua publicação, já em 2011, quando as famigeradas hashtags foram introduzidas ao Instagram.

De acordo com Oxford, uma selfie é uma fotografia tirada por uma pessoa e que tem como objeto ela mesma. Capturada com smartphones ou webcams, segue a definição, estas fotos são geralmente compartilhadas nas redes sociais. O dicionário deixa ainda um alerta: “selfies ocasionais são aceitáveis, mas postar uma nova foto de você mesmo todos os dias é desnecessário.”

Tópicos: Instagram, Empresas de internet, Internet, Redes sociais