Santiago - Uma equipe de astrônomos conseguiu captar, através do poderoso radiotelescópio ALMA, no norte do Chile, a imagem daquele que é considerado o lugar mais frio do Universo.

"A nebulosa do Bumerangue, que se mantém a uma temperatura gélida de 1 grau Kelvin (-237 graus Celsius), é o objeto mais frio que se conhece do Universo", informou a equipe encarregada do ALMA em um comunicado.

O objeto "é mais frio que a frágil luminescência residual da Grande Explosão ou Big Bang, que determina a temperatura de fundo do espaço".

Em astronomia, quanto mais frio um objeto, mais antigo e mais distante se encontra no universo.

"Este objeto ultra frio é muito interessante e com ALMA estamos descobrindo muito mais acerca de sua verdadeira natureza", afirmou o cientista Raghvendra Sahai, autor principal do estudo, citado na nota de imprensa.

"O que parecia ser um lóbulo duplo ou a forma de um bumerangue, visto com telescópios ópticos da Terra, é na verdade uma estrutura muito mais larga e comprida que está se expandindo rapidamente no espaço", acrescentou Sahai.

A nebulosa do Bumerangue fica a 5.000 anos-luz de distância, na constelação de Centauro, e é um exemplo relativamente jovem de um objeto conhecido como nebulosa planetária, que são as últimas etapas de estrelas como o Sol, que se desprenderam de suas camadas exteriores.

O Grande Conjunto de Radiotelescópios do Atacama, com 66 antenas com 7 a 12 metros de diâmetro, fica na árida Planície Chajnantor, a mais de 5.000 metros acima do nível do mar, nas proximidades do povoado de San Pedro de Atacama, 1.600 km ao norte de Santiago.

Tópicos: Astronomia, Ciência, Espaço, Telescópios