São Paulo - O número de dispositivos móveis conectados à Internet deve mais que dobrar nos próximos nove anos, aumentando de 9 bilhões de unidades, neste ano, para 24 bilhões em 2020, o que representa um crescimento de 166%, segundo pesquisa da GSMA, associação que reúne as operadoras de telefonia móvel que utilizam o padrão GSM e suas evoluções. Essa base inclui não apenas celulares, smartphones e tablets, mas quaisquer outros produtos conectados a redes móveis, tais como carros ou mesmo aparelhos de saúde preventiva.

Considerando apenas tablets e celulares com conexão à Internet, a base dobrará nesse intervalo, passando de 6 bilhões, neste ano, para 12 bilhões em 2020. O aumento expressivo do número de dispositivos conectados deve gerar receita de US$ 1,2 trilhão para as operadoras de telefonia móvel em 2020. A cifra representa uma expansão de sete vezes em relação aos cerca de US$ 171 bilhões projetados para este ano.

Os principais segmentos que impulsionarão o crescimento da receita são o de consumidores finais, que responderão por US$ 445 bilhões em 2020, e o automotivo, que deve movimentar US$ 202 bilhões. Completam a lista os setores de saúde (US$ 69 bilhões) e de utilities (US$ 36 bilhões).

Tópicos: Celulares, Indústria eletroeletrônica, Internet móvel, Smartphones, Tablets