São Paulo - Uma nova determinação do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) poderá fazer algumas contas de e-mail falharem e impedir o usuário de enviar mensagens eletrônicas normalmente a partir de primeiro de janeiro.

Para reduzir o volume de spams na web brasileira, o CGI.br. determinou aos provedores de acesso e às empresas de telefonia que não permitam mais o envio de mensagens a partir da porta 25 dos clientes de e-mail, como os softwares Outlook, Windows Mail ou Apple Mail, por exemplo. O CGI pede que essas empresas só liberem o uso de mensagens por meio da porta 587 desses programas, considerada mais segura.

A principal diferença entre as portas 25 e 587 é que esta última confere login e senha do usuário antes de disparar uma mensagem. Na prática, isto dificulta o trabalho de spammers ou crackers que montam redes zumbis para disparar e-mails usando a conta de terceiros.

O número de pessoas impactadas deve ver pequeno, uma vez que a medida não afeta nenhum usuário que utiliza serviços de webmail ou clientes baseados na nuvem. Usuários do Gmail, Hotmail, Yahoo Mail e outros serviços que podem ser acessados diretamente pelo browser não perceberão nenhuma diferença.

Já usuários que utilizam clientes instalados no PC, como é o caso do Outlook, por exemplo, muito popular em redes corporativas, podem ter o envio de mensagens bloqueado caso ainda usem na configuração do software a porta 25 para disparar e-mail.

Quem tiver a configuração antiga e for afetado pelo problema, deverá ir até a aba “configurações de e-mail” de seu programa de mensagens eletrônica e selecionar o item “porta de saída”. Neste campo, será necessário trocar o número 25 por 587.

A determinação do CGI.br deve diminuir o volume de spams em circulação no Brasil e foi acordada com as empresas de telefonia, provedores de acesso e Anatel antes de ser anunciada.

Tópicos: E-mail, Internet, Segurança