Autor das principais matérias no The Guardian sobre os documentos vazados por Edward Snowden, Glenn Greenwald participou nesta semana de uma sessão de perguntas e respostas no Canadá.

E entre as dúvidas que precisou esclarecer, o jornalista explicou por que seu colega e ex-funcionário da NSA não tem uma conta no Facebook: simplesmente por odiar a rede social.

“Eles são um dos piores violadores de privacidade da história”, disse o norte-americano durante a apresentação.

E, justamente por isso, “ninguém deveria usar o Facebook”, completou, para depois ser aplaudido pela plateia, como dá para ver ou ouvir em inglês por aqui.

”Mas eu já o encorajei a usar o Twitter, para que ele tivesse uma plataforma onde pudesse falar”, continuou Greenwald.

O jornalista ressaltou que, mesmo exiliado na Rússia, Snowden ainda consegue seguir sua vida normalmente, inclusive mantendo as denúncias de espionagem que fez.

É um cenário bem diferente do que imagivana uma boa parte da temerosa população dos EUA, na opinião do autor das reportagens.

A declaração do norte-americano soa forte, mas basta nos lembrarmos dos termos de uso do Facebook e de algumas notícias para percebermos que não é exatamente um exagero.

A rede social é conhecida por, entre outras ações, monitorar tudo que seus usuários compartilham e fazem, e também por saber onde você está e por usar informações fornecidas por parceiros para melhorar a entrega de anúncios no site.

O contrato aceito pelos clientes do serviço ainda deixa claro que os dados são usados internamente para fins de pesquisa e análise – mas também ressalta que nada disso é levado para fora sem a permissão da pessoa.

Tópicos: Edward Snowden, Facebook, Redes sociais, Empresas, Internet, Empresas americanas, Empresas de tecnologia, Empresas de internet, INFO