São Paulo — Quando se fala em redes sociais, o nome Pinterest sempre aparece na conversa. A rede de compartilhamento de fotos cresceu oito vezes na América Latina neste ano, e avança velozmente também em outras regiões. Mas muitos homens atraídos pela fama do Pinterest ficam intimidados quando chegam ao site e veem milhares de fotos de vestidos, produtos de maquiagem e peças de decoração.

Sim, o público do Pinterest é predominantemente feminino (em fevereiro, a comScore estimava que as mulheres eram 80% dos inscritos). E dois jovens empreendedores de Vancouver, no Canadá – Kamil Szybalski e Colin Brown –  parecem ter raciocinado que, se o Pinterest é quase um clube da Luluzinha, então era hora de criar um clube do Bolinha. Assim nasceu o Dudepins, o Pinterest para machos.

O site usa o layout “cachoeira” que foi criado e popularizado pelo Pinterest. Visualmente, ele é quase idêntico à rede social que o inspirou. Mas, no Dudepins, em vez de vestidos de noiva, há carros de corrida, garrafas de cerveja, cenas de jogos de futebol e aviões supersônicos – enfim, coisas de meninos. 

Mas não se veem imagens de mulheres nuas (e nem vestidas) no Dudepins. No blog da empresa, os fundadores dizem que há uma espécie de censura para evitar isso, e ameaçam os transgressores: “A regra básica é que se você não se sentiria confortável mostrando algo a seu patrão, marido ou esposa, então não deve publicar. Se fizer isso, nós vamos remover o conteúdo e chamá-lo de babaca. Se constatarmos que você é um babaca, vamos divulgar seu crime no Twitter, no Facebook e no Google+ e ridicularizá-lo.”

Em outro post no mesmo blog, os dois empreendedores explicam, à sua maneira, como a iniciativa se concretizou: “É uma fórmula infalível. 2 rapazes + 2 computadores + 1 ideia + uísque ilimitado - dinheiro limitado = Dudepins!” 

O Dudepins já está no ar, em caráter experimental, há cerca de um mês. Para se inscrever nele, é preciso fornecer um endereço de e-mail e aguardar a chegada de um convite. Os criadores do site dizem que não conseguem atender a todos os pedidos imediatamente. Segundo eles, uma maneira de furar a fila é publicar algo “impressionante” na página do Dudepins no Facebook. Eles dizem, ainda, que as mulheres são bem vindas – desde que não publiquem fotos de vestidos de noiva. 

Tópicos: Facebook, Redes sociais, Empresas, Internet, Empresas americanas, Empresas de tecnologia, Empresas de internet, Google+, Google, Pinterest, Twitter