São Paulo – Rick Osterloh, presidente da Motorola, desmentiu o boato de que o Moto G e o Moto E não serão mais fabricados. Osterloh afirmou na Mobile World Congress (MWC), em Barcelona, que os smartphones ainda estarão disponíveis em um “futuro previsível”.

Ele também disse que, tanto o Moto G quanto o Moto E, continuarão a ser vendidos em mercados similares aos que já são comercializados atualmente. 

Desde que a Motorola foi adquirida pela Lenovo em outubro de 2014, muitas dúvidas surgiram sobre o futuro de uma das maiores fabricantes de celulares do mundo. Afinal, a união de duas companhias com objetivos similares – a venda de smartphones de baixo custo – pode ser complicada.

Até agora, o pouco que se sabe é que o nome da Motorola irá desaparecer das caixas dos dispositivos. Em breve, os únicos sinais que indicarão que os smartphones são feitos pela Motorola são o clássico logotipo da marca e o nome "Moto By Lenovo", que pode aparecer já novos próximos Moto E e Moto G.

Um exemplo da convergência das duas empresas é a reformulação do design da linha Vibe da Lenovo pela equipe da Motorola. Porém, Osterloh não revelou como a Motorola irá ajudar a empresa chinesa financeiramente.

VR e tablet

Apesar de a Motorola ser uma companhia voltada para o mercado de celulares, ela já se dedicou à fabricação de tablets (alguém se lembra do Xoom e do Xyboard?). No entanto, Osterloh disse na MWC que a Motorola não pretende mais focar seus esforços na criação de tablets. Afinal, a Lenovo já faz aparelhos ótimos para esse segmento.

Quando o assunto é realidade virtual – campo em forte desenvolvimento –, a Motorola também não parece muito interessada. O presidente da companhia afirmou que a Lenovo já possui times totalmente devotos ao assunto e não pretende formar outros. 

Tópicos: Lenovo, Empresas chinesas, Empresas de tecnologia, Empresas, Motorola, Empresas americanas, Smartphones, Indústria eletroeletrônica