São Paulo - Os gastos de consumidores brasileiros com compras online devem atingir R$ 69,6 bilhões neste ano, o que, se confirmado, representará um crescimento de 21% em relação a 2013, segundo levantamento feito pelo serviço de pagamentos online PayPal em parceria com a Ipsos.

Considerando as compras online realizadas em dispositivos móveis, estas devem expandir 50% comparado ao ano passado, movimentando R$ 7,3 bilhões.

Numa perspectiva maior, o estudo estima que, em 2015, o e-commerce no Brasil movimente R$ 81,3 bilhões, aumento de 17% em relação a este ano, enquanto o volume de transações móveis cresça 45% e some US$ 10,6 bilhões.

A pesquisa foi realizada entre setembro e outubro e tomou como base os hábitos de 800 usuários de Internet no país.

Entre os itens mais comprados pelos brasileiros estão roupas, calçados e acessórios (50%), seguidos por produtos eletrônicos (36%).

Porém, o estudo mostra que a categoria que deve apresentar maior crescimento nas compras online no próximo ano, de 18%, é a de produtos para bebês e crianças.

Em segundo lugar, estão alimentos e bebidas, com alta de 17%. No caso de eletrônicos de consumo, a projeção de crescimento para 2015 é de 11%.

O estudo mostra ainda que, 70% dos brasileiros que afirmaram ter feito compras online nos últimos 12 meses, 50% disseram ter comprado apenas em sites nacionais, enquanto 46% fizeram compras em sites nacionais e internacionais, e apenas 4% adquiriram itens somente em sites internacionais.

Resultados mundiais

Sob uma perspectiva global, as compras online internacionais são mais relevantes na Áustria, onde 83% dos consumidores online fazem compras em sites internacionais, em Israel (82%) e na Austrália (75%).

Por outro lado, na China, as compras internacionais são relativamente raras, prática apontada apenas por 26% dos consumidores.

Entretanto, 52% dos consumidores chineses declararam que planejam começar a fazer ou aumentar suas compras online internacionais nos próximos 12 meses.

Nos Estados Unidos, 30% dos consumidores online fazem compras internacionais e, na Polônia, o percentual é de 35%.

Entre as mercadorias mais procuradas por compradores online internacionais, roupas e calçados representam 39% do total, categoria dominante em todas as regiões pesquisadas.

Produtos eletrônicos aparecem em segundo lugar, com 26% de todas as compras online internacionais, porém, não se mantém na segunda posição em todas as regiões.

Foram entrevistados 17.600 consumidores em 22 países. São pessoas que gastam mais de 10% de suas compras online em mercados internacionais e que já gastam duas vezes mais que os consumidores que compram apenas em sites nacionais.

Os países compreendem: Alemanha, Austrália, Áustria, Brasil, Canadá, China, Dinamarca, Emirados Árabes, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Israel, Itália, México, Noruega, Polônia, Reino Unido, Rússia, Suécia, Suíça e Turquia.

Tópicos: Comércio eletrônico, Consumidores, Teletime, Vendas