São Paulo—A Microsoft anunciou hoje seus novos smartphones. Eles são o Lumia 950 e Lumia 950 XL.  Os dois produtos são bastante voltados para produtividade. O ponto mais interessante é a possibilidade de usar os produtos como um PC, graças à ferramenta Continuum.

Ambos os modelos podem ser usados com um adaptador que permite que eles sejam conectados a monitores ou televisões usando HDMI. Essa caixinha tem três entradas USB que podem ser usadas para conexão de mouse e teclado, além de pendrives e outros tipos de dispositivos.

A ideia da Microsoft é permitir que os aparelhos sejam usados como substitutos de computadores. Em uma demonstração no anúncio, a empresa mostrou aplicativos como o Word ou PowerPoint sendo usados em uma grande tela – mas rodando diretamente nos smartphones. Os dois produtos chegarão rodando o Windows 10.

Enquanto estiver sendo usado no modo Continuum, o smartphone ainda continua completamente funcional e independente das atividades realizadas na tela grande.

As principais diferenças entre o 950 e 950 XL são o tamanho da tela e seus processadores. O Lumia 950 tem tela de 5,2 polegadas e processador de seis núcleos. Já o 950 XL tem tela de 5,7 polegadas e um processador octa-core. Ambos os modelos contam com 3 GB de RAM.

Tradicionalmente, as câmeras presentes nos modelos Lumia topo de linhas são bem interessantes. Dessa vez não é diferente. Eles virão com sensores de 20 megapixels e com um flash triplo, que promete deixar as cores mais fiéis. A câmera frontal, por sua vez, será de 5 megapixels.

O armazenamento interno dos aparelhos é de 32 GB, mas ambos têm espaço para expansão usando um cartão microSD. Uma novidade interessante é a chegada do USB Padrão C – um novo padrão para o mercado.

A empresa diz que graças a isso, será possível carregar metade da bateria dos smartphones em apenas 30 minutos de tomada.

Eles serão lançados nos EUA no próximo mês. O Lumia 950 será vendido por 549 dólares, já o Lumia 950 XL custará 649 dólares.

Tópicos: Microsoft, Empresas, Tecnologia da informação, Empresas americanas, Empresas de tecnologia, Smartphones, Indústria eletroeletrônica, Windows, Windows 10