Aguarde...

Queda | 15/02/2013 10:20

Meteorito na Rússia é o mais destrutivo dos últimos anos

Os fragmentos do meteorito causaram danos em pelo menos seis cidades, deixando mais de 500 feridos

OOO Spetszakaz/Reuters

Janelas ficaram quebradas após a passagem de um meteorito nos Montes Urais, na Rússia

Janelas ficaram quebradas após a passagem de um meteorito nos Montes Urais, na Rússia

Redação Internacional - A queda de um meteorito na região de Tcheliabinsk na Rússia, nas proximidades dos Montes Urais, deixando quase 500 feridos, é o acidente de maiores consequências originado por um corpo celeste na Terra nos últimos anos.

Os fragmentos do meteorito causaram danos em pelo menos seis cidades. O corpo celeste caiu por volta das 9h20 hora local (1h20 horário de Brasília), a cerca de 80 quilômetros da cidade de Satka, capital do distrito de mesmo nome.

A queda aconteceu no mesmo dia em que está prevista a passagem do asteroide 2012 DA14, com entre 45 e 95 metros de diâmetro, a 27.860 quilômetros da Terra, a maior aproximação já registrada de um objeto cósmico com o nosso planeta.

Um meteorito também foi o responsável pela gigantesca explosão que devastou 2.200 quilômetros e arrasou mais de 80 mil árvores na manhã do dia 30 de junho de 1908 na região do rio Tunguska na Sibéria.

A explosão do chamado "evento de Tunguska" foi 300 vezes maior que a da bomba nuclear de Hiroshima, não criou uma cratera na terra e suscitou todo tipo de teorias exóticas, inclusive a de que a explosão foi causada por uma nave extraterrestre.

Segundo os cientistas, a queda de um meteorito de 10 km de diâmetro sobre a península de Iucatã, no México, foi a responsável pelo fim da era dos dinossauros há 65,5 milhões de anos e afetou quase 70% das espécies do planeta.

A maior cratera originada pelo impacto de um meteorito na Terra foi descoberta em 2006 na região oriental da Antártida e tem 480 quilômetros de diâmetro. Está a uma profundidade de quase dois quilômetros sob a camada de gelo e calcula-se que a queda aconteceu há 250 milhões de anos.

Comentários (0)  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados