Rabat - O Marrocos interrompeu ligações feitas através de conexões de Internet móvel, anunciou o regulador nacional, um movimento que pode impulsionar as receitas de voz para operadoras de telecomunicações locais.

A proibição será aplicável às três operadores de telefonia móvel do Marrocos que oferecem acesso à Internet para computadores via USB e outros modems para aparelhos móveis, assim como celulares. O Marrocos está seguindo outros países na região como o Egito e os Emirados Árabes Unidos.

Protestos começaram poucos dias atrás nas redes sociais contra a mudança, com a mídia local especulando se os controles de segurança estariam por trás da proibição. A Agência Nacional de Regulamentação de Telecomunicações do Marrocos, disse que os serviços de telecomunicações como ligações telefônicas precisam de licenças se utilizam telefonia em banda larga (VoIP, na sigla em inglês), ou outras. "Além das perdas para o mercado nacional de telecomunicações, as ligações livres via Internet não respondem a entrada requerida por lei", disse a agência nesta quinta-feira.

O mercado de telecomunicações do Marrocos é dominado pela Maroc Telecom, controlada majoritariamente pela Etisalat da UAE; a Medi Telecom (Meditel) , afiliada local do grupo francês Orange e a Wana Corporate, subsidiária da SNI, holding da família real do Marrocos. 

Tópicos: Internet, Marrocos, África, Tecnologia