São Paulo - Primeiro foi o iPhone. Depois, o novo iPad. Agora, o display de LCD de altíssima definição é o grande destaque do novo MacBook Pro. No testes, a qualidade da imagem superou a de todos os outros notebooks avaliados até hojef. São mais de 5 milhões de pontos condensados e, 15,4 polegadas, com ótimo contraste.

Apesar da tela ampla, o design continua elegante. O notebook tem espessura de 1,8 centímetro e pesa apenas 2 quilos, o mesmo que o modelo de 13 polegadas. A performance também impressiona e é mais do que suficiente para quem deseja editar vídeos ou rodar games.

O novo MacBook Pro traz ainda duas entradas Thunderbolt, uma HDMI e duas USB 3.0. Seus principais problemas são o preço proibitivo e a dificuldade de fazer atualizações de hardware. O SSD de 256 GB é muito pequeno para uso profissional, por exemplo. Quem optar por uma configuração melhor, que é possível na loja online da Apple, pagará mais caro ainda.

Avaliação de Giovana Penatti

É difícil começar a falar do MacBook Pro Retina sem ser pelo display, que tem tanto destaque que já está no nome da máquina. De fato, é a tela mais bonita que já passou pelo INFOLab. Ela é menos reflexiva que as telas de LCD comuns, mas mais frágil. A disposição dos cristais que formam as imagens é feita de acordo com a tecnologia IPS, o que permite um ângulo de visão bastante amplo.

A resolução da tela é altíssima, atingindo o máximo de 2.880 x 1.800 pixels, e a qualidade da imagem é superior à de todos os outros notebooks de 15 polegadas. Os contrastes são ótimos e os pretos são muito profundos, o que resulta na reprodução perfeita de cores. A definição também é beneficiada pela imensa densidade de pixels: 220,5 por polegada.

Combinando com a tela de excelente qualidade, temos um hardware de ponta. O processador é um Intel Core i7 Ivy Bridge, que é o mais atual. A memória RAM é generosa, com 8 GB, mas o espaço de armazenamento não combina com o resto: apenas 250 GB num SSD. A placa de vídeo é uma Geforce GT 650M de 1 GB de memória dedicada.

De uma forma geral, o MacBook Pro Retina tem um ótimo desempenho em tarefas que exigem muito de seus recursos, como edição de vídeos ou execução de jogos. Com essa configuração, ele vai direto para o topo nos testes de benchmark, deixando outros notebooks também considerados substitutos de desktop pelo INFOLab bem atrás. O único que obteve um desempenho melhor foi o Avell G1730 D1HJ.

Mas ele bate até o notebook potente da Avell no tamanho: o Macbook Pro Retina é bastante compacto e leve para a sua configuração, medindo 35,9 por 25 por 1,8 centímetros e com 2 quilos. Já no teste de bateria, ele superou todos da categoria com a impressionante duração de 1h42min.

Acompanhando a lógica do hardware, a Apple priorizou conexões de alta velocidade: o notebook vem com duas USB 3.0, duas Thunderbolt e uma HDMI, além de Bluetooth 4.0 e do leitor de cartões (compatível com SD, SDHC, SDXC e MMC).

O sistema operacional do MacBook Pro Retina é o Mac OS X 10.8, o Mountain Lion, que é o mais recente da Apple e foi desenvolvido para aproximar Mac OS e iOS, permitindo e incentivando mais integração entre os dispositivos mobile da Apple.

Já o visual segue a mesma linha dos notebooks da Apple. Minimalista, simples e elegante. Ele tem a tampa e o interior de alumínio, sendo que a tampa tem o logotipo da empresa no centro. O teclado é retroiluminado, com digitação macia e confortável e teclas achatadas e de bordas arredondadas. O touchpad é enorme (7,6 por 10,5 centímetros) e tem amplo suporte a gestos (a maior parte foi herdada do sistema operacional anterior).

Tópicos: Apple, Empresas, Tecnologia da informação, Empresas americanas, Empresas de tecnologia, iMac, Mac, Macbook Pro, Tecnologia