São Paulo – Com o mercado de PCs em queda, a Lenovo apresentou hoje suas novas apostas para o mercado brasileiro neste ano. A empresa trará ao país os modelos Yoga 900s, o Y700 e a linha X1.  

O primeiro a chegar ao mercado é o notebook gamer Y700. Ele tem tela de 15 polegadas, 16 GB de memória RAM, armazenamento de 512 GB (SSD) e vem com a placa de vídeo NVidia GeForce GTX 960M com 4 GB de memória.

O processador é um Intel i7 de sexta geração (Skylake). O valor sugerido do produto é alto: 12.099 reais. 

Divulgação/Lenovo

Notebook Lenovo Y700

Y700: notebook da Lenovo é dedicado a games e tem preço alto

A outra aposta para o consumidor final é o notebook premium Yoga 900s, que pesa menos de 1 kg (999 g). Assim como o Yoga 900, ele tem dobradiças refinadas que permitem o uso no modo tenda, como chama a Lenovo.  

A tela sensível ao toque do produto tem resolução Quad HD (2.560 por 1.440 pixels) e a fabricante promete que a duração de bateria durante a reprodução de vídeos é de mais de dez horas.  

Divulgação/Lenovo

Dobradiça do notebook Lenovo Yoga 900s

Yoga 900s: notebook tem dobradiça refinada que permite uso em modo tenda

O gadget também conta com processador Intel Core i7, mas o seu preço (algo por volta de 10 mil reais) só deve ser definido em maio, quando ele está previsto para chegar ao mercado.  

Por fim, a Lenovo vai lançar no Brasil quatro integrantes da linha X1, que é voltada para o segmento corporativo. O ThinkPad X1 Yoga e o X1 Carbon são notebooks que pesam, respectivamente, 1,27 kg e 1,127 kg.  

Já o ThinkPad X1 Tablet é um produto que tem sistema Windows e a fabricante promete duração de bateria de até 15 horas de uso. O quarto produto dessa família é o tudo-em-um ThinkCentre X1, que tem tela de 23,8 polegadas e tem proteção contra o acúmulo de poeira.  

Divulgação/Lenovo

Lenovo X1 Tablet

X1 Tablet: fabricante diz que bateria do aparelho dura mais de 10 horas de uso

Mercado 

De acordo com previsão da consultoria IDC, o mercado brasileiro de PCs deve apresentar queda de 18% ao longo do ano de 2016. O valor médio dos produtos vendidos deve subir 20% em relação ao ano passado. 

A retração terá um ritmo mais lento do que o visto em 2015, que foi o pior ano dos últimos dez para o segmento de computadores. Quantidade de PCs vendidos no país no ano passado, somando desktops e notebooks, caiu 36%. 

"2015 foi o pior ano desde 2005, quando o país comercializou quase a mesma quantidade de máquinas, porém se tratava de um mercado novo, que estava em ascensão", disse, em nota, Pedro Hagge, analista de pesquisa da IDC. 

Sílvio Stagni, presidente da Lenovo no Brasil, disse ainda acreditar no mercado brasileiro e ressaltou a liderança global da empresa no segmento de PCs ao longo dos últimos 11 trimestres consecutivos. A fabricante tem 21,6% do mercado global.

Tópicos: Computadores, Lenovo, Empresas chinesas, Empresas de tecnologia, Notebooks, Windows, Microsoft