São Paulo – Um estudo científico revelou que homens que tem o costume de raspar o cabelo são percebidos como sendo mais masculinos mais fortes e até mais altos que aqueles que mantêm a cabeleira ao vento. A pesquisa foi realizada por uma equipe da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, divulgada pelo  The Wall Street Journal.

Segundo o texto do Journal, as cabeças raspadas podem ser inclusive uma vantagem nos negócios. Em uma das etapas do estudo, liderado pelo Professor Albert Mannes (adepto deste visual), foram apresentadas aos entrevistados fotografias do mesmo homem em duas versões: uma com cabelo e outra na qual o cabelo havia sido removido digitalmente para parecer raspado.

Surpreendentemente, em todas as fases do estudo, foi constatado que o público entrevistado tem a percepção de que os homens com cabeça raspada são mais dominantes que os outros. Houve ainda relatos de que eles parecem até 13% mais fortes e mais altos.

Em contrapartida, homens com pouco cabelo, os verdadeiros carecas, não fizeram tanto sucesso. Estes foram percebidos pelos entrevistados como sendo menos poderosos, não tão atraentes e definitivamente mais velhos que o outro grupo.

E para Mannes, o motivo pelo qual a cabeça raspada agrada tanto ao público é por que é associada a um visual masculino e com ar atléticos. Não é a toa que grandes estrelas dos filmes de ação, tal qual Bruce Willis e Jason Statham, por exemplo, são adeptos do “corte” de cabelo.

Para testar a teoria, EXAME.com removeu o cabelo de quatro importantes nomes do mundo dos negócios do Brasil. Confira o resultado no infográfico abaixo:

Tópicos: Abilio Diniz, Personalidades, Empresários, Bilionários brasileiros, André Esteves, Banqueiros, Empresas, BuscaPé, Empresas de internet, Ciência, Eike Batista, OSX, MMX, Infográficos, Pesquisa e desenvolvimento