Pequim - Criminosos virtuais na China tentaram acessar 20 milhões de contas ativas do site de comércio eletrônico Taobao, do Alibaba, usando o próprio serviço de computação em nuvem da Alibaba, de acordo com uma reportagem da mídia estatal publicada no site do regulador da Internet.

Analistas dizem que a reportagem do The Paper levou à queda de 3,7 por cento das ações da companhia listadas nos Estados Unidos na quarta-feira.

Um porta-voz do Alibaba disse nesta quinta-feira que a companhia detectou o ataque "em primeira instância", lembrando os usuários para mudarem as senhas, e que a empresa estava trabalhando de perto com a investigação policial.

As companhias chinesas estão lidando com um grande aumento do número de ataques cibernéticos, e especialistas dizem que elas têm um grande caminho ainda a percorrer até alcançar a defesa já conquistada por suas contrapartes norte-americanas.

No caso mais recente, hackers obtiveram um banco de dados de 99 milhões de usuários e senhas de diversos sites, de acordo com uma reportagem em um site administrado pelo ministério da Segurança Pública.

Os hackers, então, usaram a plataforma de computação em nuvem do Alibaba para colocar os detalhes na Taobao. Dos 99 milhões de usuários, encontraram 20,59 milhões que também eram utilizados em contas da Taobao, disse o site do ministério.

Os sistemas do Alibaba descobriram e bloquearam a maior parte das tentativas de login, de acordo com o site.

Tópicos: Alibaba, Empresas, Empresas chinesas, Jack Ma, Ásia, China, Comércio eletrônico