São Paulo - Foi lançado na última terça-feira (19) o aplicativo ProBebê, uma iniciativa do Instituto Zero e Seis em parceria com o Google.

A novidade foi anunciada em um evento na sede da gigante, em São Paulo, e contou com a presença de idealizadores do projeto e futuros parceiros de conteúdo.

O app consiste em um serviço que distribui de forma gratuita mensagens personalizadas sobre cuidados básicos com o bebê.

O download do programa não tem custo e já está disponível para dispositivos Android e iOS.

As dicas compreendem o período do início da gravidez até os 18 meses de vida da criança e são enviadas semanalmente por meio de mensagens no celular.

A gestação e o nascimento

O ProBebê é resultado do Desafio de Impacto Social, programa que tem como objetivo estimular ONGs e institutos a usarem a tecnologia como meio para impactar as pessoas com seus trabalhos.

A proposta do Instituto Zero a Seis foi premiada pelo programa em 2014 e desde então o Google e a ONG vêm trabalhando em parceria no desenvolvimento do projeto, inicialmente apelidado de "SMS Bebê".

Para anunciar a estreia do app, Dr. João Augusto Figueiró, presidente do Instituto, estabeleceu a apropriada analogia com o nascimento de um bebê.

Segundo o neurocientista, o principal objetivo da iniciativa é alertas pais e cuidadores sobre a importância dos cuidados na primeira infância.

Figueiró apresentou dados que comprovam a influência da fase no desenvolvimento social do ser humano e urgência com que o Brasil precisa tratar do assunto.

Para se ter uma ideia da gravidade do problema, 73% das crianças de zero a três anos não têm acesso a creches, sendo privadas da formação fundamental promovida pela escola.

"A primeira infância é a que fica"

A agência We, responsável pela comunicação do app, desenvolveu uma campanha baseada no propósito inicial do programa de projetar no futuro os benefícios dos cuidados durante a primeira infância.

Sob o mote "A primeira infância é a que fica", o primeiro filme veiculado no meio digital tem trinta segundos e simula um noticiário do futuro, com noticias que podem se tornar realidade se o objetivo do projeto for atingido.

Além do vídeo, a campanha conta com peças que terão veiculação na mídia impressa especializada e também no digital.

Guy Costa, VP de Criação da We, contou sobre o desenvolvimento da campanha e revelou um dos fatores que o motivou ainda mais para o projeto.

O executivo, pai de três filhos, um deles de apenas nove meses, declarou que sua experiência pessoal o fez comprovar a importância desse tipo de iniciativa. "Sentimos quase que um dever de fazer parte deste projeto e abraçar a causa da Primeira Infância", declarou.

De mãe para mãe

A distribuição do conteúdo do app via SMS é algo bastante democrático, já que possibilita o acesso às dicas mesmo que a pessoa não tenha um smartphone ou acesso a internet no momento.

A grande questão é que a opção tem um custo que encarece relativamente o projeto.

Para viabilizar a gratuidade do cadastro, os organizadores do programa anunciaram que, provavelmente em março, será lançada uma campanha solicitando a colaboração das usuárias.

A ideia é que as mães possam "doar SMS" umas às outras, disponibilizando seus pacotes de dados ao aplicativo para que ele possa continuar distribuindo as mensagens de forma gratuita.

Ainda não há uma comunicação oficial da iniciativa, mas os organizadores declararam que a campanha deve ser iniciada após Março.

Parceiros e novidades

Entre os parceiros do ProBebê para possíveis projetos futuros, marcaram presença players do segmento como Unilever, Johnson & Johnson e Alô Bebê, além do apoio da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo e da Fundação Abrinq.

Em breve, será lançada uma nova sessão do aplicativo, que funcionará como uma espécie de biblioteca voltada especialmente para os pais, com dicas sobre cuidados e ideias de como o homem pode ajudar durante o período da gestação.

Ainda não há data definida para o lançamento do "ProPapai" mas, segundo o Google, a atualização deve acontecer logo.

Tópicos: Apps, Bebês, Crianças, Google, Empresas, Tecnologia da informação, Empresas americanas, Empresas de tecnologia, Empresas de internet, Gravidez, Mulheres