São Paulo — O Google comprou a empresa de software de reconhecimento facial Pittsburgh Pattern Recognition, mais conhecida como PittPatt. O valor do negócio não foi divulgado. A PittPatt, que surgiu de um projeto de robótica na Universidade Carnegie Mellon, tem algoritmos avançados para identificar faces em imagens e, também, em vídeos.

O negócio, segundos alguns analistas que estudam a empresa de buscas, é estranho. O Google já declarou diversas vezes, por meio de seus gestores, que não se interesse por uma solução avançada de reconhecimento facial, já que a tecnologia pode gerar um turbilhão de processos por ferir a privacidade das pessoas. Uma forma simples dessa tecnologia já é usada no Picasa, o aplicativo de edição de imagens do Google, para identificar pessoas em fotos dos usuários.

Pelo comunicado divulgado no site da PittPatt, o Google deverá usar a tecnologia nos serviços YouTube, Picasa e também nas buscas de imagens. O reconhecimento facial deverá ajudar a empresa a criar, inclusive, um sistema de busca de faces, afirmou. O Google declarou que a ferramenta não vai interferir nas discussões em torno dos problemas que o reconhecimento facial pode trazer para a empresa.

Tópicos: Fotografia, Google, Empresas, Tecnologia da informação, Empresas americanas, Empresas de tecnologia, Empresas de internet, Software