São Paulo – De olho no público pré-adolescente que engorda ano a ano as redes sociais, o Google abriu hoje o G+ para jovens a partir de 13 anos dos idade. Para incentivar a adesão, a empresa também lançou um pacote com medidas de segurança para protegê-los de compartilhar informações demais com pessoas de fora do seu círculo social.

O gerente de produto Bradley Horowitz explicou, em post no blog oficial da rede, três ações que formam um novo pacote de segurança. Tais medidas tiveram que ser feitas para adaptar e tornar a rede compatível com a realidade deste público.

Uma delas é em relação ao que é compartilhado. No G+, é possível que o usuário divida seus posts com os diferentes círculos sociais – amigos, família e até público geral. Uma das ferramentas incorporadas é uma espécie de aviso que explica aos usuários desta faixa etária que pensem bem antes da publicação de qualquer post fora dos seus círculos.

Outra medida dá aos usuários o controle sobre quem tem permissão de entrar em contato. No caso dos usuários menores de idade, a rede social já virá ajustada de modo que apenas amigos e familiares que estejam reconhecidos no círculo possam enviar mensagens. A ferramenta que oferece a possibilidade de bloqueio de terceiros também estará mais visível.

A última medida é em relação ao Google Hangouts, opção que permite a conversa via vídeo, voz e texto com até dez participantes. De acordo com Horowitz, o Google reconhece que conectar-se desta maneira é muito mais sério que o mero compartilhamento de posts. Portanto, se uma pessoa de fora do círculo do jovem entrar numa conversa, o pré-adolescente será então temporariamente “removido” da rede social.

Por fim, o gerente explica que o recém-lançado serviço de segurança, o Google+ Safety Center, reúne não apenas estas três medidas, mas outras que podem ser utilizadas pelos usuários para que tenham uma experiência ainda mais proveitosa dentro da rede.

Tópicos: Google+, Google, Redes sociais, Internet, Segurança