São Paulo – Lee Sedol, o gênio sul-coreano do jogo Go, venceu uma partida contra o PC que tem o software de inteligência artificial do Google. A vitória é a primeira obtida por um humano contra o programa, que derrotou Sedol nos últimos três jogos.  

Chamado AlphaGo, o software utiliza redes neurais artificiais que lhe permitem aprender com a prática e também identificar o estilo de jogo do oponente, o que deixa a vitória mais difícil para o jogador humano. 

No entanto, Sedol, que tem 33 anos e já ganhou 18 campeonatos mundiais, disse ter encontrado duas fraquezas na estratégia usada pelo AlphaGo.   

A primeira foi a falta de preparo do software para lidar com surpresas. Para testar essa capacidade, Sedol fez um movimento inesperado e o programa reagiu como se houvesse um bug, o que deu vantagem ao jogador humano. 

A segunda é que o AlphaGo tem dificuldade quando joga com as pedras pretas, que, pela regra do jogo, sempre começam a partida – quem usa as peças brancas ganha pontos adicionais para compensar a vantagem do oponente.  

Os narradores da partida de Go de Sedol contra o AlphaGo não conseguiram conter a alegria ao ver que o humano vencia o jogo, que durou mais de seis horas (e pode ser visto na íntegra no YouTube). 

Para a próxima partida de Go contra o software do Google, Sedol disse que irá jogar usando as pedras pretas para tornar a vitória mais significativa. O jogo, que acontece nesta semana, será o último, completando o desafio do Google, que era vencer o computador no esquema melhor de cinco. Como o AlphaGo venceu a maioria das partidas, o prémio de 1 milhão de dólares que iria para Sedol agora será destinado à caridade. 

Devido à grande complexidade do Go, que tem infinitas possibilidades de movimentação no tabuleiro, dominar o jogo era considerado uma meta quase inatingível para tecnologias de inteligência artificial. O Google conseguiu isso por meio da empresa Deep Mind, companhia que adquiriu no início de 2014.  

Jogar Go não é o objetivo da Deep Mind com o AlphaGo. A companhia utiliza o jogo para melhorar a capacidade do software de analisar de maneira lógica uma sequência de ações. Isso pode ser útil em áreas como a previsão de buscas e o reconhecimento facial, duas tecnologias importantes para um buscador como o Google. 

O Go não é um jogo novo, estima-se que ele tenha 2,5 mil anos. O foco dele é a estratégia para dominar o território do oponente formando quadrados com suas peças no campo rival. Tradição nacional na China, o jogo é tão complexo que é muito raro que exista uma partida igual à outra, o que é desafiador para humanos – e, agora, para inteligências artificiais também.  

O vídeo abaixo mostra os melhores momentos da partida entre Sedol e o Alpha Go. Confira.

Tópicos: Computadores, Google, Empresas, Tecnologia da informação, Empresas americanas, Empresas de tecnologia, Empresas de internet, Inteligência artificial, Jogos online