São Paulo - Um novo serviço online promete dar destino àquele smartphone velho que você tem guardado em casa. Batizado de Redial, o site já comprou cerca de 500 gadgets usados desde seu lançamento em setembro.

O serviço funciona de maneira simples. Ao acessar o site, o internauta deve informar o modelo do smartphone que quer vender e se o gadget tem algum problema - como tela quebrada ou algo do tipo. Com base nisso, o serviço informa o preço a ser pago pelo aparelho.

Caso o dono concorde com o valor, o Redial faz o cadastro dos dados do internauta, verifica se o smartphone não é roubado e pede ao dono do celular que envie o gadget por correio. 

Após uma última análise, o serviço paga até 1.600 reais pelo smartphone usado - de acordo com o modelo e o estado de conservação.

Refone 

O francês Amaury Bertaud é o diretor da Recomércio, startup que está por trás do Redial. Além desse site, a empresa tem uma loja online chamada Refone - voltada para a venda de smartphones usados.

"O preço de smartphones novos no Brasil é muito alto", afirmou Bertaud em entrevista a EXAME.com.

Após comprar os smartphones usados, a Recomercio limpa os dados armazenados no aparelho e até troca peças (no caso de gadgets que estejam com problemas). Depois disso, a empresa coloca os celulares à venda no Refone.

Até o momento, Bertaud afirma que a startup já vendeu cerca de 300 smartphones usados por preços que chegam a 1.999 reais. Mercado Livre, OLX e outros sites de classificados são considerados concorrentes por Bertaud.

No futuro, ele quer criar versões de seus sites para smartphones e tablets. Ele também pensa em levar o Redial e o Refone para lojas de varejo.

"Até o fim de 2015, minha meta é ter comprado 15 mil smartphones e vendido 12 mil gadgets", afirma Bertaud.

Veja o vídeo de apresentação do Redial:

Tópicos: Gadgets, Indústria eletroeletrônica, Internet, Serviços online, Sites, Smartphones, Startups