São Paulo -- Está sem tempo para ir ao supermercado? Uma startup brasileira, a Mercode, começa a testar um sistema que permite fazer compras apontando a câmera do smartphone para fotos de produtos em estações do metrô.

A Mercode já funciona há dois meses como uma supermercado virtual na internet. Em seu site, há 2.500 produtos disponíveis para compra. A lista inclui produtos de limpeza, alimentos frescos e industrializados e outros itens comuns em supermercados.

Agora, uma seleção de 90 dos produtos mais vendidos começa a ser oferecida também em estações do metrô de São Paulo. A empresa instalou painéis em três estações da linha 4 (amarela) – Pinheiros, Faria Lima e Paulista.

Nesses painéis, há fotos de gôndolas carregadas de produtos, do sabão em pó à alface. Para comprar, primeiro é preciso baixar um app, disponível para Android (a versão para iOS está prometida para daqui a duas semanas). 

Depois, basta apontar a câmera do smartphone para o produto e dar um toque na tela. Há um QR Code ao lado da foto, que é lido pelo aplicativo para registrar a compra. O esquema já faz sucesso em países como Coreia do Sul, Alemanha e Inglaterra. 

“Na Coreia do Sul e na Inglaterra, esse tipo de comércio movimenta bastante dinheiro. Na Alemanha, o mesmo sistema é usado para vender cosméticos e outros produtos”, diz Fabio Campos, um dos sócios da Mercode.

A principal vantagem é a conveniência, é claro. A pessoa não precisa ir ao supermercado e nem ligar um computador e entrar num site para comprar. Pode fazer a encomenda em seu caminho de casa para o trabalho, em poucos minutos.

Quando não há sinal de celular no local, o pedido é registrado no smartphone para ser transmitido depois, assim que uma conexão de dados for estabelecida.

A Mercode promete entregar no mesmo dia as compras feitas até as 12h, cobrando uma taxa de entrega de 5 reais. Por enquanto, a empresa só atende aos bairros mais centrais de São Paulo.

Serviço de entregas

Antes de fundar a empresa, Campos já havia criado um serviço de entregas chamado Disk Tudo. Outro sócio, Igor Garcia, havia fundado antes o site Comidasdelivery, para encomenda de comida em restaurantes.

“Essas experiências com entregas nos mostraram que o valor da taxa é crítico para o sucesso desse tipo de comércio. Por isso cobramos só 5 reais. Esse valor encoraja as pessoas a fazerem até compras de valores baixos, como 50 reais”, diz Campos.

Ainda assim, a expectativa da Mercode é que o valor médio por compra fique em torno de 90 reais. O contrato da empresa com a ViaQuatro, dona da linha amarela do metrô de São Paulo, é de um mês.

“É um período experimental para testar esse sistema de vendas. Vamos avaliar os resultados para saber se vale a pena prosseguir com ele”, diz Campos. A operação da empresa é toda terceirizada. Ela não possui estoque próprio de mercadorias.

“Temos parcerias com um atacadista, um distribuidor de hortifrútis, um açougue e uma empresa de logística. Especificamos detalhes como o tipo de embalagem a ser usado e eles fazem a entrega”, diz Campos.

Tópicos: Apps, Apps Android, Android, Comércio eletrônico, Internet, Internet móvel, Empresas, Metrô de São Paulo, Estatais brasileiras, Transportes no Brasil, Transporte público, Empresas estatais, Mobilidade urbana, Sites, Smartphones, Indústria eletroeletrônica, Setores, São Paulo, Cidades brasileiras, Metrópoles globais