A companhia francesa Pixium Vision, que desenvolve sistemas para a recuperação da visão, anunciou nesta quarta-feira que realizou com sucesso um primeiro implante de sua retina artificial Iris II, que deve ser comercializada na Europa a partir de meados de 2016.

A Iris II oferece esperanças aos pacientes que perderam a visão por causa da retinite pigmentária, uma patologia da retina hereditária e degenerativa.

Com 150 eletrodos, três vezes mais que seu protótipo Iris 1, estimula artificialmente a retina defeituosa e restaura parcialmente a visão para capturar formas e movimentos.

"Esta novidade mundial, realizada em um paciente de 58 anos, transcorreu com êxito", declarou em um comunicado o professor Michel Weber, chefe do serviço de oftalmologia do Centro Hospitalar Universitário (CHU) de Nantes, oeste da França, onde foi realizado o implante em janeiro.

Depois de vários anos de escuridão, o paciente agora percebe luzes e começará um processo de reeducação.

Depois de ter implantado o Iris I em oito pacientes, mais dez receberão este novo modelo em vários centros especializados na Europa como parte do teste clínico, anunciou ainda a Pixium Vision.

Além dos implantes, a pesquisa médica da empresa também explora a terapia genética e celular para restaurar a visão.

Tópicos: Europa, França, Países ricos, Medicina, Ciência, Startups, Tecnologia