São Paulo - Com a HTC abandonando o mercado brasileiro, a disputa pelo título de smartphone mais potente do mercado se concentra em dois competidores: Galaxy S III e Optimus 4X HD.

Tanto LG como Samsung apostaram em processamento, grandes telas com ótima resolução e adaptações para tornar o Android ainda mais prático.

Com o melhor oferecido por cada fabricante, os dois aparelhos tem como único ponto semelhante os quatro núcleos de processamento e o Ice Cream Sandwich.

Mesmo que matematicamente as especificações sejam similares, na prática os resultados são muito diferentes, bem como a abordagem de cada aparelho com seus próprios recursos e seu reflexo para o usuário.

Principais vantagens:

Galaxy S III Optimus
21 Mbps HSPA+ Tegra 3 - processador quad core de 1,5 GHz
Tela Super AMOLED de 4,8 polegadas Tela IPS de 4,7 polegadas (720 por 1.280 pixels)
Resolução de 720 por 1.280 pixels 1 GB de RAM
1.4 GHz Cortex A9 (quad-core), Mali-400MP, 1GB de RAM NFC
Câmera de 8 megapixels (LED, reconhecimento de face, sorriso, piscar) Câmeras de 8 MP
Gravação de vídeo em 1.080p a 30 fps Gravação de vídeo em 1.080p a 30 fps
GPS com A-GPS; suporte a GLONASS Bateria de 2.150 mAh
Armazenamento de 16 GB + microSD (+ 48 GB Dropbox) 16 GB + microSD (até 32 GB)
Bluetooth 4.0 estéreo GPS (A-GPS); Bluetooth 4.0
FM com RDS FM com RDS
Câmera frontal de 2 megapixels  
NFC  
Flash completo no navegador web  
Sistema de arquivos nativo  
Bateria de 2.100 mAh  

Principais desvantagens:

Galaxy S III Optimus
Corpo em plástico de aparência ruim Acabamento em plástico não atraente
Sem tecla dedicada para a câmera Teclado sem suporte nativo a Swype
Escolha por microSIM Sem videochamadas nativas
S-Voice ausente no Brasil até que o português seja incluído Sem botão dedicado para câmera

Como as especificações indicam, o desempenho dos aparelhos foi altíssimo nos testes, superando todos os concorrentes. A principal diferença entre eles é a tecnologia empregada em cada SoC (system on a chip). O Tegra 3 (Optimus 4X) trabalha em 40 nanômetros, enquanto o Exynos (S III) opera em 32 nanômetros. Mesmo com um processador de 1,5 GHz, o Optimus 4X não superou os 1,4 GHz de seu concorrente. Nos dois aparelhos, engasgos com transições e lentidão nas apps são cenários inexistentes.

Com sensores similares à disposição do sistema, a adaptação da interface realizada pela Samsung é muito superior à da LG em vários aspectos. Deixando o lado “humanizado” de lado, que só faz irritar com os barulhos de gota, o casamento entre hardware e software foi muito bem arquitetado no S III. O aparelho possui vários atalhos que podem ser acessados com movimentos do usuário. Mesmo que o Optimus 4X consiga reproduzir alguns deles, como virar o celular com a tela para baixo para interromper sons (chamadas, etc), os recursos são bem mais limitados e menos intuitivos.

Um ponto favorável para o aparelho da LG são as alterações singelas na estrutura e layout do sistema. A mudança mais significativa é a adoção de uma escala de cores mais claras, afastando o Optimus 4X do estilo padrão do Android 4.

É importante salientar que os dois aparelhos oferecem recursos muito interessantes a seus usuários. Os dois ocupam uma posição de destaque no mercado brasileiro, já que são os aparelhos mais completos. Para os dois, nossa maior crítica é a ausência de conexão nativa HDMI, entrada para cartão microSD e botão dedicado para a câmera, recursos que o Xperia S não esqueceu.

Como o investimento necessário para levar um desses aparelhos para casa é parecido (1.999 para o LG e 2.099 para o Samsung), o Galaxy S III é uma compra mais interessante. Além de obter um melhor resultado com seu hardware em nossos testes, um sistema mais versátil e prático fazem dele o campeão em território nacional.

Não fique com dúvidas, acesse o review completo de cada um:

Optimus 4X roda o Android ICS com 4 núcleos

Galaxy S III é o smartphone mais avançado do mercado

Tópicos: Google, Android, Galaxy, Galaxy S III, Galaxy S, Smartphones, Celulares, LG, Empresas, Indústria eletroeletrônica, Empresas coreanas, Empresas de tecnologia, Samsung