São Paulo — O momento mais marcante até agora no festival Coachella, que começou no último fim-de-semana na Califórnia, foi a entrada do rapper Tupac Shakur no palco para cantar três músicas com os artistas Snoop Dog e Dr. Dre. Shakur morreu assassinado em 1996. Sua “ressurreição” foi possível graças a uma tecnologia criada 150 anos atrás e aperfeiçoada com imagens em alta resolução.

A tecnologia empregada no Coachella é descrita, pelos organizadores do festival e pelo fabricante do equipamento, como sendo uma “holografia em 3D”. Mas ela não tem relação com as imagens estereoscópicas dos filmes em 3D exibidos no cinema e na TV. No palco do Coachella, a sensação de tridimensionalidade foi produzida pela combinação de objetos reais com uma imagem virtual em duas dimensões.

A técnica é uma variação da que é conhecida como fantasma de Pepper. Ela foi demonstrada pela primeira vez há 150 anos pelo inglês John Henry Pepper. Para criar um fantasma de Pepper, é preciso refletir uma imagem luminosa numa superfície semitransparente posicionada a 45 graus em relação ao ângulo de visão do usuário.

O fundo atrás dessa tela é mantido escuro, de modo que a os observadores vejam a figura projetada em destaque. Alternando a iluminação entre o fundo e a figura, cria-se a ilusão de que o fantasma aparece ou desaparece magicamente.

Pessoas reais podem interagir com a imagem, como fizeram Snoop Dog e Dr. Dre, o que torna a ilusão mais convincente. Esse sistema é usado há décadas em parques de diversão, em apresentações do tipo “mulher gorila”, em shows de mágica e até em algumas exibições em museus. Mas produzir fantasmas é mais fácil do que fazer a imagem de uma pessoa parecer real.

Para dar realismo à aparição de Shakur, os organizadores do Coachella empregaram um potente projetor de alta definição. Ele foi usado para projetar vídeos que mostravam o rapper cumprimentando a plateia e cantando. O sistema, chamado Eyeliner, foi criado pela empresa britânica Musion.

A empresa fornece a tela transparente, formada por um filme fino de material sintético metalizado. Essa solução torna viável o uso de telas grandes sem emendas. E seu custo é muito mais baixo do que o de uma tela de vidro ou outro material rígido. O vídeo abaixo, produzido pela Musion, mostra o sistema em ação.

Tópicos: 3D, Artistas, Celebridades, Rappers, Tecnologia, Vídeos