São Paulo - A Cielo, empresa que captura transações com plásticos de crédito e débito, espera que o número de usuários que utilizam a máquina para capturar transações (POS, na sigla em inglês) por meio do celular cresça "exponencialmente" com o lançamento de um leitor de cartão com chip e senha que é acoplado ao telefone por meio de Bluetooth.

A informação é do presidente da companhia, Romulo de Mello Dias. Atualmente a companhia conta com mais de 25 mil usuários ativos.

"Já tivemos mais de 200 mil downloads feitos no Cielo Mobile. São mais de 25 mil usuários ativos. Há um aspecto cultural para que as pessoas se valham mais do celular, entretanto, é um segmento pouco explorado", afirmou, acrescentando que a nova tecnologia permitirá a inclusão de lojistas que estão ainda fora do mercado de adquirência.

A solução lançada nesta segunda-feira, 28, pela Cielo é uma evolução do aplicativo já existente, o Cielo Mobile, segundo o presidente da companhia.

O aplicativo, lançado há cerca de três anos, permitirá, na nova versão, que os lojistas capturem transações com cartões não somente com senha, mas também com chip.

O custo para o usuário será, segundo Dias, de R$ 11,90 equivalente à taxa de conectividade que já era cobrada inicialmente. As taxas cobradas por transações (MDR, na sigla em inglês) também serão mantidas: 3,19% nos cartões de débito e 4,05% para plásticos de crédito.

Ao possibilitar a captura de cartões com chip, a Cielo ampliou o número de plásticos aceitos. Antes, eram permitidas apenas com cartões de crédito e agora, conforme Dias, todas as modalidades, crédito, débito, voucher (vale-alimentação) e crediário.

Ele não deu detalhes do investimento na nova solução nem projeções quanto ao potencial do leitor.

Tópicos: Serviços financeiros, Cielo, Empresas abertas, Empresas brasileiras, Pagamento via celular, Tecnologia, Tecnologias sem fio