São Paulo - A CCE, fabricante brasileira recentemente adquirida pela multinacional Lenovo, projeta que venderá este ano 1 milhão de tablets no País. Isso lhe conferiria um market share de 14% se levada em conta a estimativa do IDC de que 7,2 milhões de tablets serão comercializados no Brasil em 2013.

A empresa entrou no mercado de tablets no final de 2012 e conta hoje com oito modelos diferentes desse produto, que se tornou o carro-chefe da empresa, segundo o diretor executivo de marketing e trade marketing da Lenovo no Brasil, Humberto De Biase.

O diretor afirma que no terceiro trimestre a empresa alcançou a vice-liderança do mercado nacional de tablets, respondendo por 16% das vendas no período. Sua meta para 2014 é aumentar em 50% o volume de tablets vendidos, alcançando a marca de 1,5 milhão de unidades.

No mercado de smartphones, onde a concorrência é maior, a participação da CCE é mais tímida. A empresa, que já atuava em feature phones no passado, começou a vender smartphones este ano, com estimativa de comercializar 500 mil peças dos cinco modelos que tem disponíveis em seu portfólio no momento, todos eles com sistema operacional Android.

"O nosso principal foco são os produtos de entrada, trazendo tecnologia de qualidade a preços acessíveis, a fim de atender às necessidades do brasileiro", descreve De Biase.

Conteúdo

A CCE está investindo também no desenvolvimento de conteúdo próprio para seus tablets e smartphones, com uma equipe de engenheiros da Lenovo dedicada a essa finalidade para toda a América Latina, informa o diretor.

Análise

A vasta oferta de smartphones e tablets Android em todas as faixas de preço torna cada vez mais comum a busca da diferenciação por meio de conteúdo exclusivo embarcado. Outras marcas de origem nacional estão seguindo esse caminho, como Positivo, Multilaser e Tectoy.

Tópicos: CCE, Empresas, Lenovo, Empresas chinesas, Empresas de tecnologia, Tablets, Vendas