São Paulo - A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) fixou nesta sexta-feira em R$ 3,85 bilhões o preço mínimo exigido para as licenças de operação da telefonia móvel de quarta geração (4G) e linhas de 450 megahertz.

O leilão público para escolher as empresas de telefonia que operarão as linhas de 450 megahertz, destinadas a cobrir a áreas rurais, e de 2,5 gigahertz, para a tecnologia móvel 4G, acontecerá em junho. O objetivo da estatal é atender a crescente demanda de serviços de telecomunicações e propiciar uma infraestrutura adequada para os grandes eventos internacionais que ocorrerão no Brasil nos próximos anos, segundo um comunicado do órgão regulador.

O presidente da estatal, João Rezende, destacou que a banda larga móvel 4G, até dez vezes mais veloz que a atual, será instalada nos centros urbanos do país. Segundo as condições da oferta, as cidades sedes da Copa das Confederações serão cobertas até 30 de abril de 2013 e as sedes e subsedes da Copa 2014, no final do mesmo ano. Enquanto isso, os municípios com mais de 100 mil habitantes, até 31 de dezembro de 2016.

De acordo com os critérios do leilão, a empresa vencedora da licitação das linhas de 450 MHz será a com a menor tarifa para o consumidor. Já no caso de nenhuma das propostas cumprirem os requisitos, serão leiloadas essas frequências junto ao espectro de 2,5 GHz. Nesse segundo cenário, a concessão será submetida aos que apresentarem maiores valores de direitos de exploração. 

Tópicos: 4G, Anatel, Dados de Brasil, América Latina