São Paulo - O Brasil encerrou 2015 com 23 milhões de acessos 4G, segundo o braço de pesquisa da associação global de operadoras móveis, a GSMA Intelligence, divulgados nesta terça-feira, 12.

De acordo com dados da Anatel, no entanto, é possível que essa quantia seja superada: em novembro, a base de LTE no país já era de 22,5 milhões de acessos.

De qualquer forma, a GSMA afirma que a previsão é que o Brasil feche 2016 com 42 milhões de conexões 4G, um aumento de 87%.

A associação destaca ainda que o país fechou o ano passado com 267 milhões de conexões móveis de todas as tecnologias – menos que os 269,6 milhões de acessos registrados pela Anatel em novembro.

A previsão para 2016 da GSMA é que a base total chegue a 278 milhões de acessos. Assim, a penetração do 4G teria subido dos atuais 9% para 15% da base.

A entidade ressalta que, mesmo com o cenário econômico desfavorável, a penetração de smartphones no Brasil aumente de 55% no ano passado para 62% este ano.

Com isso, o total de conexões móveis de banda larga em handsets (3G e 4G) chegaria a 223 milhões, contra 193 milhões em 2015 – um aumento de 16%.

Novamente comparando com informações do órgão regulador, em novembro, desconsiderando os 6 milhões de acessos de modems e tablets, haviam 178,9 milhões conexões de banda larga móvel.

Já as conexões máquina-a-máquina (M2M) totalizariam 11,6 milhões em 2015, contra 11,3 milhões em novembro segundo dados da Anatel na soma de M2M com e sem interface humana (M2M especial e M2M padrão).

A previsão da GSMA para este setor é de aumento de 20,79% até o final de 2016, totalizando 14 milhões de conexões.

Tópicos: 4G, Telefonia, Banda larga, Internet, Dados de Brasil, América Latina, Internet móvel, Smartphones, Indústria eletroeletrônica, Tecnologia