São Paulo -- A liquidação anual Black Friday acontece nesta sexta-feira com enorme expectativa dos consumidores e do varejo. A empresa de consultoria Conversion prevê que os brasileiros vão fazer 5,2 milhões de compras em lojas online, o que equivale a uma média de 61 pedidos por segundo.

A Conversion considera que as lojas online esperam vender o dobro do que venderam na Black Friday do ano passado. Nesse caso, as  vendas devem chegar a 1,54 bilhão de reais, contra 770 milhões de reais em 2013. Isso equivale a 4% das compras feitas no comércio eletrônico brasileiro neste ano.

A e-Bit, empresa especializada em comércio eletrônico, trabalha com previsão mais conservadora, de aumento de 56% no faturamento em relação ao ano passado. Nesse caso, a Black Friday deve movimentar 1,2 bilhão de reais.

Uma pesquisa feita pela empresa OpinionBox apurou que 76% dos internautas brasileiros pretendem fazer alguma compra na Black Friday. Desses, 62% querem comprar aparelhos eletrônicos e 40% estão dispostos a gastar mais de 500 reais.

Esses números são parecidos com os obtidos pelo site de cupons de desconto Méliuz numa pesquisa com seus usuários. 74% deles pretendem comprar na Black Friday. O Méliuz diz que vende, só no dia da Black Friday, o equivalente a um mês inteiro de vendas regulares. 

“Esperamos que o fluxo de vendas aumente de 6 a 10 vezes em relação a um dia normal. Acredito que o aumento pode chegar a 30 vezes no caso de grandes lojas como Submarino, Americanas e Walmart”, afirma, num comunicado, Israel Salmem, cofundador do Méliuz.

Crescimento explosivo

Vários fatores permitem o crescimento explosivo das vendas. “Os varejistas estão se preparando cada vez mais para a Black Friday, que é a data mais importante do e-commerce no Brasil. E os consumidores estão cada vez mais interessados no evento”, afirma Diego Ivo, CEO da Conversion, num comunicado da empresa.

Neste ano, as vendas ainda devem ganhar um empurrão extra por causa de uma coincidência de datas. O dia 28 é a data limite para pagamento da primeira parcela do 13º salário. Muitos consumidores podem se sentir animados a gastar, já nesse dia, uma parte do que vão receber.

“Nos últimos anos, a demanda foi muito superior à projetada para a Black Friday. Pensando nisso, desde janeiro, o KaBuM! vem negociando com os fabricantes o fornecimento de um número recorde de produtos”, diz, num comunicado, Leandro Ramos, CEO da loja online KaBuM!.

Na Black Friday de 2013, mais de 4 milhões de pessoas acessaram o site do KaBuM!. Com esse número seria possível lotar 57 vezes o estádio do Maracanã. Se as caixas de pedidos deste dia fossem empilhadas, elas ultrapassariam a altura do Monte Everest, diz a empresa.

Tradição americana

A Black Friday é uma liquidação tradicional nos Estados Unidos, onde acontece há décadas, sempre depois do feriado do Dia de Ação de Graças. Ela chegou ao Brasil há quatro anos, inicialmente por meio do site de comércio eletrônico Busca Descontos. 

Se a Black Friday americana envolve principalmente as lojas físicas, na liquidação brasileira o movimento maior é no comércio eletrônico. Praticamente todas as lojas online mais importantes devem participar, além de redes de supermercados e lojas de varejo físico.

A liquidação deve começar à meia-noite de sexta-feira. Mas é provável que algumas lojas online antecipem ofertas ao longo da semana. Veja nossas dicas para não entrar em roubadas ao comprar na Black Friday.

Tópicos: Black Friday, Liquidações, Comércio eletrônico, Internet, Tecnologia, Varejo, Setores, Comércio