São Paulo - O uso de smartphones para o acesso às redes sociais tem sido a principal porta de entrada para malwares (programas maliciosos) em dispositivos móveis. No primeiro trimestre deste ano, foram detectadas cerca de 360 mil ameaças a esses aparelhos, segundo estudo realizado pela fabricante de software antivírus AVG, denominado Community Powered Threat Report.

De acordo com o relatório, o aumento do uso de redes sociais em aparelhos equipados com o sistema operacional Android, do Google, facilitou a maneira pela qual os cibercriminosos distribuem os malwares.

A pesquisa aponta que os trojans – programas maliciosos que agem como a lenda do cavalo de Troia, entrando no computador e liberando uma porta para uma possível invasão – foram a categoria de vírus responsável pelo maior número de ataques em dispositivos móveis (40,91%).

A segunda maior ameaça é o spyware – programa automático de computador, que recolhe informações sobre o usuário, sobre os seus costumes na internet e transmite essa informação, sem o seu conhecimento nem o seu consentimento –, responsável por 17,19% dos ataques.

Ainda segundo a pesquisa, o Brasil caiu de terceira para a quinta posição no ranking de países que mais encaminham spam, sendo responsável por apenas 3,3% do total de spams. No topo da lista estão Estados Unidos (48,3%), Reino Unido (9,7%), França (5,3%) e Alemanha (4,5%).

Tópicos: Antivírus, AVG, Empresas, Internet móvel, Segurança, Smartphones, Indústria eletroeletrônica