Tóquio - Os resultados decepcionantes da Apple no terceiro trimestre não foram evidentes no Japão, onde as vendas subiram mais de 40 por cento depois que a maior operadora do país passou a comercializar o novo iPhone.

O Japão representou aproximadamente 10 por cento das receitas globais da Apple no período de julho a setembro, com consumidores sendo atraídos por descontos das operadoras ameaçadas pela líder da indústria, a NTT DoCoMo, que finalmente começou a vender o iPhone após anos de hesitação.

Para a Apple, a competição entre as operadoras nos preços ajudou a pavimentar o domínio do iPhone no mercado.

"O Japão é o país da Apple", disse Serkan Toto, consultor de tecnologia sediado em Tóquio. "Foi posicionado como um aparelho bacana não por conta de seus atributos, já que não tem muitas coisas que outros celulares têm como pagamento eletrônico e TV digital, é um produto de estilo de vida."

A Apple é considerada bem posicionada para ampliar sua liderança no Japão sobre a Samsung Electronics depois que o início de vendas do iPhone pela operadora DoCoMo ajudou a impulsionar a fatia de mercado do aparelho para um recorde de 34 por cento em setembro, de acordo com a empresa de pesquisa Counterpoint Technology.

Tópicos: Apple, Empresas, Tecnologia da informação, Empresas americanas, Empresas de tecnologia, iPhone, Smartphones, Celulares, iPhone e iPad, iPhone 5c, iPhone 5s, Ásia, Japão, Países ricos