Aguarde...

Telecom | 12/03/2012 13:57

Anel óptico deve estar concluído em três anos

Ministros sul-americanos assinaram uma declaração com o compromisso de continuar trabalhando para a conexão de suas redes

Stock.Xchange

Cabos de fibra ótica

Documento destaca a importância do projeto para possibilitar aos cidadãos uma conexão mais rápida a preços mais baixo

São Paulo - Os ministros de Comunicações dos países da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) assinaram na última sexta-feira, 9, em Assunção, no Paraguai, uma declaração em que renovaram o compromisso de continuar trabalhando juntos para garantir a interconexão de suas redes. Os ministros aprovaram os prazos para a implementação de cada fase do projeto de anel ótico, que deverá ser concluído em três anos.

O documento destaca a importância do projeto para possibilitar aos cidadãos uma conexão mais rápida a preços mais baixos, além de fortalecer a soberania dos países. Atualmente, o caminho percorrido pelos dados numa simples conexão à Internet é extenso e caro: se um internauta do Brasil acessa um site do Chile, por exemplo, a conexão segue até um servidor nos Estados Unidos, via cabos submarinos, para, então, voltar ao Chile. Com o anel ótico interligando os países sul-americanos, o tráfego circulará diretamente entre as redes locais.

A declaração ressalta, ainda, a necessidade de trabalhar para a geração, armazenamento e distribuição de conteúdos locais, de modo a aumentar a importância do tráfego de dados na região.

Também foram definidas as datas dos próximos encontros sobre o projeto. Em junho, ocorrerá a II Reunião do Grupo de Trabalho de Telecomunicações, em Assunção. Em setembro, o Brasil sediará a III Reunião de Ministros de Comunicações dos países membros da Unasul.

Assinam o documento os ministros dos seguintes países: Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela.

Comentários  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados