Frankfurt - Pensar em uma aldeia na lua soa como ficção científica? Isso pode se tornar realidade até 2030, se o diretor-geral da Agência Espacial Europeia conseguir o que pretende.

Jan Woerner apresentou uma visão para substituir a Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) quando eventualmente deixar de funcionar, com uma "aldeia" lunar de estruturas feitas por robôs e impressoras 3D que usam poeira lunar como material de construção.

“Olhei para os requisitos que vejo para um projeto pós-ISS. E hoje eu vejo a aldeia lunar como um sucessor ideal da Estação Espacial Internacional para exploração (espacial)”, disse Woerner em uma coletiva de imprensa em Paris nesta sexta-feira.

Quando assumiu o comando da Agência Espacial Europeia (ESA), em julho passado, Woerner fez da missão Lua um projeto central, dizendo que era um passo fundamental para uma eventual missão humana a Marte.

Diversas nações e instituições espaciais -como a ESA, a Nasa, a Rússia e a China- poderiam participar do projeto da aldeia lunar, contribuindo com tecnologia e astronautas para ajudar no preparo de uma missão a Marte e continuar a exploração científica nas áreas de física e biologia atualmente realizadas na ISS.

“Caso alguém tenha uma ideia melhor, então que seja... Mas, até agora, não há uma proposta concorrente na mesa”, disse Woerner.

Tópicos: Espaço, Ciência, Ficção científica, Impressoras 3D, Impressoras