Mutação faz leoas ganharem jubas e agirem como leões

"Tendo em mente que as leoas com juba são de Botswana, deve haver um componente genético nessa população que está trazendo à tona esse fenômeno", afirma biólogo

O bicho é grande, tem juba, e muito provavelmente você não gostaria de cruzar com ele. Mas, apesar de parecer muito, o animal na foto acima não é um leão. O que você está vendo é uma bela e grande leoa.

O nome dela é Mmamoriri, e ela não é a única leoa incrivelmente parecida com um leão. Ela vive em Botswana, e na mesma região existem outras quatro felinas com o mesmo visual masculino.

Nenhuma, no entanto, tem tantos comportamentos considerados fora do padrão. Mmamoriri age como se fosse macho, rugindo em um tom mais próximo dos machos (mais grave), matando filhotes de leões que roubaram suas presas e chegando até mesmo a montar em outras leoas – que não gostaram muito da atitude, ela nunca foi correspondida e era ou ignorada ou recebida com agressividade.

Não se sabe exatamente porque isso acontece, mas tudo indica que o motivo é um hormônio bem conhecido entre os humanos: a testosterona. Acredita-se que os animais em questão possuam níveis de testosterona bem mais altos do que o comum.

Não à toa, nos leões o hormônio é o responsável pela juba; um animal castrado, por exemplo, perde a capacidade de ter a simbólica pelagem ao redor da cabeça.

Isso levaria a uma segunda questão, a possibilidade de se reproduzir. Animais com níveis elevados do hormônio podem ter dificuldades em procriar.

“Enquanto algumas leoas com juba foram observadas copulando, nenhuma delas ficou grávida, sugerindo que elas são inférteis”, afirmou à revista New Scientist, Kathleen Alexander, bióloga da Universidade Estadual da Virginia.

Não há motivos para se preocupar, os leões não vão desaparecer. Aparentemente, a situação toda é fruto de uma mutação no DNA e que só aconteceu naquela região.

“Tendo em mente que todas as leoas com juba são da região de Okavango [em Botswana], deve haver algum componente genético nessa população que está trazendo à tona esse fenômeno”, afirmou também à NS, Geoffrey Gilfillan, biológo da Universidade de Sussex in Falme, na Inglaterra, autor de estudo que observou as leoas nos últimos dois anos.

Não é a primeira vez que uma leoa desse tipo aparece. Em 2011, uma felina do Zoológico Nacional da Africa do Sul começou a desenvolver sua juba. Alguns testes mostraram que a causa de tudo aquilo era um problema nos seus ovários – que foram retirados. Não demorou para sua pelagem voltar ao normal.

O aparecimento dessas femeas acaba ajudando os machos do grupo. Acontece que alcateias rivais acham que as leoas com juba são machos, e o coletivo acaba conquistando mais espaço. Rainha Leoa. Chora, Simba.