Milhares de húngaros protestam contra taxação da internet no país

De acordo com o projeto de lei, os usuários deverão pagar o equivalente a 1,50 real por cada 1Gb enviado

Quase 10 mil manifestantes caminharam no domingo (26) pelas ruas de Budapeste, na Hungria, para protestar contra uma proposta de lei que taxa o uso de internet no país.

O protesto pediu a extinção do projeto de lei. Os manifestantes acreditam que a nova taxa aumentaria o preço da internet do país, além de diminuir a liberdade de expressão e o acesso à informação dos húngaros.

A proposta foi enviada ao Parlamento da Hungria pelo primeiro ministro Viktor Orban, na semana passada. A tributação do tráfego de internet seria uma forma de arrecadar mais recursos para o país, que sofre com a dívida interna e externa.

Atualmente em seu segundo mandato, Orban é acusado de tomar medidas antidemocráticas para silenciar a oposição a seu governo.

A proposta de lei sugere o pagamento de uma taxa equivalente a 1,50 reais por cada Gb de dados transferido na Hungria.

O líder do bloco governista no Parlamento húngaro revisou a proposta e sugeriu um teto tributário de 7,20 reais para consumidores e 51,94 reais para empresas. Mas a mudança não foi aceita pelos manifestantes.

O grupo no Facebook que reúne os protestantes já tem mais de 210 mil membros. Caso a proposta não seja extinta nas próximas horas, os manifestantes prometem voltar às ruas na terça-feira (28).