LG G4 Beat é um smartphone bom e bonito que peca na bateria

logo-infolab

Os smartphones cresceram nos últimos anos e ganharam telas grandes, com 5 polegadas ou mais. Com isso, a ergonomia sofreu e muitos aparelhos com ótimos displays não se encaixam bem na mão. A LG mostrou seu esforço em resolver isso no G4 Beat, que é um dispositivo com Android 5.1 e sistema de autofoco a laser. Custando menos de 1.500 mil reais, o produto concorre com o Zenfone 2 Selfie e com o Moto X Play, que têm apelos diferentes e ergonomia pior.

Câmera

A câmera principal do G4 Beat fotografa com 8 megapixels com qualidade razoável. Ao darmos zoom 100%, é possível notar um detalhamento nos objetos registrados, porém, nem em todos os pontos isso se mantém. Ainda assim, a câmera certamente se mostra como um ponto positivo do aparelho.

Foto por: INFOlab

Fora a qualidade das imagens, o Beat se destaca com o autofoco a laser. O isso traz de diferente? Uma alta velocidade de foco. Em instantes quase imperceptíveis, o objeto está apto para a foto. Isso ajuda especialmente nos momentos em que você é surpreendido por uma cena que mereça registro.

Foto por: INFOlab

Falando agora da câmera frontal, o Beat tem 5 megapixels e, assim como os aparelhos da Samsung, conta com um recurso de embelezamento. O que isso faz é tentar eliminar imperfeições da pele deixando parte do seu rosto mais “lavadas”. É como se houvesse um tratamento automático no Photoshop, mas nada de muita qualidade. O desempenho do recurso é mediano, já que ele acerta em alguns momentos e falha em outros. Claro que esse defeito é notável somente aos olhos mais atentos. A sua selfie ficará mais bonita graças a esse recurso com o G4 Beat.

Foto por: INFOlab

Sem o embelezamento, as imagens tiradas com a câmera frontal obtém maior nível de detalhe, apesar de mostrar a realidade nua e crua. As fotografias ficam com qualidade boa, apesar de ainda não superarem as do Zenfone 2 Selfie, que, afinal, tem câmera dianteira de 13 megapixels.

Foto por: INFOlab

Para vídeos, o Beat se sai bem em cenas paradas. Na movimentação, o resultado não é muito bom. Em todo caso, se você só usa o câmera para filmar em shows ou uma brincadeira do seu filho, o aparelho deve lhe atender bem.

 

 

Bateria

A bateria é uma preocupação geral quando o assunto é smartphone. Se você pensa em comprar um G4 Beat e passa várias horas no WhatsApp ou no Facebook ao longo do dia, a bateria pode lhe deixar na mão. Nos testes de uso intenso do INFOlab, o aparelho aguentou por seis horas e três minutos, o que o faz perder de longe do Moto X Play nesse quesito, já que ele aguentou por 13 horas e 20 minutos nas mesmas condições.

Design

O visual foi uma das principais preocupações da LG no G4 Beat. O produto pode não ser dos mais potentes, mas com uma das melhores combinações de componentes de design. Leve e fácil de se encaixar na mão, o aparelho tem os botões na parte de trás, tanto os controles de volume quanto o de desbloqueio de tela. Com isso, fica fácil mexer nele seja você destro ou canhoto. Como as laterais ficam livres, você não precisa se preocupar em apertar os botões acidentalmente no manuseio diário ou quando você vai colocar o smartphone em um suporte veicular.

Quando repousa sobre uma mesa, é inviável pressionar o botão de ativação da tela. Por isso, a LG colocou o Knock On, um modo de interação que já adota em seus smartphones há algum tempo. Com dois toques na tela, a interface de desbloqueio aparece. Isso é útil também para os momentos em que você está mexendo no produto somente com uma das mãos livres.

A tampa traseira é feita de plástico rígido – nada daquele policarbonato fino usado pela Samsung. Abrindo o G4 Beat, encontramos os slots para dois chips de operadoras e para um cartão microSD, que pode ser de até 32 gigabytes. Uma informação importante para a longevidade do produto: a bateria de 2.210 mAh é removível. Isso facilita a troca do componente, seja por uso, seja por problemas técnicos.

A tela de cinco polegadas tem resolução Full HD. A qualidade dela é boa, apesar da imagem gerada ser um pouco lavada por causa do brilho.

Configuração

O LG G4 Beat não é potente como o G4, que é um produto topo de linha com preço acima dos 2.000 reais. O chip do aparelho é o mesmo visto no Moto X Play, um Snapdragon 615, da Qualcomm, que tem CPU octa-core para melhorar a gestão de energia. Para rodar bem o Android modificado da LG, o Beat conta com 1,5 gigabyte de RAM, algo raro, mas encontrado em aparelhos da Samsung, que conta, também, com Android personalizado. O normal é vermos smartphones com 1, 2,3 e até 4 gigabytes de RAM.

O armazenamento interno é pouco espaçoso. Os 8 gigabytes obrigam o usuário a comprar um cartão microSD, já que, dessa quantia, somente 3,25 gigabytes estão livres, enquanto o restante é ocupado pelo sistema.

Em termos de velocidade de conexão, o Beat lembra o Moto X Play. Ele tem suporte para 4G, mas não conta com Wi-Fi AC, padrão mais recente e adotado já em larga escala por fabricantes de roteadores.

Esse produto da LG pôde rodar bem games que exigem pouco processamento gráfico, como Plants vs. Zombies 2. Agora, na hora de rodar Asphalt 8, a perda da taxa de quadros da imagem foi notável e prejudicou a experiência de jogo. Logo, esse é um aparelho que não é voltado para heavy users.

Nos benchmarks, o 1,5 gigabytes de RAM e o Snapdragon 615 se mostraram uma boa combinação. Confira os resultados no fim do texto.

Sistema

O Android Lollipop do LG G4 Beat é bem menos carregado de aplicativos do que os aparelhos lançados pela fabricante no ano passado. O sistema está longe da concepção do Google, mas o visual é agradável e traz consigo alguns recursos interessantes. Por exemplo, dá para fechar todos os apps na tela do multitarefa do sistema. Mais uma coisa bacana é a simplificação do aplicativo de música, que é o bagunçado Play Music no Android puro.Por outro lado, uma modificação específica pode deixar o usuário que usa somente um chip desgostoso. Ao lado dos botões tradicionais do Android, há um dedicado para a mudança do chip. Isso é bem prático no dia a dia de quem tem dois números de celular, mas pode ocasionar algumas ativações por acidente e, certamente, requer a adaptação do usuário.

Vale a pena?

O G4 Beat é um aparelho bom e bonito que não custa muito caro. A LG tornou a interface do Android mais leve e isso deixou de ser um problema em seus produtos. No entanto, a bateria ainda deixa a desejar. Exceto por esse ponto e por alguns poucos detalhes, o G4 Beat vale a pena para quem busca um aparelho com bom design, tela decente e câmeras para fotografar os amigos e a família.Ficha técnicaAvaliação técnica

AnTuTu (em pontos) Barras maiores indicam melhor desempenho
G4 Beat 24800
Moto X Play 37103
Vellamo (em pontos) Barras maiores indicam melhor desempenho
G4 Beat 2033
Moto X Play 2380
3D Mark (em pontos) Barras maiores indicam melhor desempenho
G4 Beat 7397
Moto X Play 7856
Geekbench (em pontos) Barras maiores indicam melhor desempenho
G4 Beat 2040
Moto X Play 2644
Basemark OS 2 (em pontos) Barras maiores indicam melhor desempenho
G4 Beat 229
Moto X Play 835
GFXbench 3.0 (em pontos) Barras maiores indicam melhor desempenho
G4 Beat 5,5
Moto X Play 5,7
Sistema Android 5.1 Lollipop
Chipset Snapdragon 615
CPU Quad-core 1.5 GHz Cortex-A53 e quad-core 1 GHz Cortex-A53
GPU Adreno 405
Armazenamento 8 GB + microSD de até 64 GB
Tela 5” Full HD
Câmeras 8 e 2 MP
Conexões A-GPS, GLONASS, 4G, Wi-FI padrão N
Peso 139 gramas
Bateria 6h03
Prós Bom design, câmeras de qualidade e suporte para dois chips
Contras Pouca duração de bateria e botão de troca de chip onipresente
Conclusão Smartphone indicado para quem busca um aparelho bonito com desempenho razoável.
Configuração 7,5
Usabilidade 8,8
Foto 7,7
Bateria 6,0
Design 9,5
Média 8.0
Preço R$ 1.400