Hackers roubam do FBI 12 milhões de IDs de usuários Apple

O grupo hacker AntiSec diz ter roubado, do FBI, 12 milhões de códigos de identificação de iPhone, iPad e iPod touch, além de informações pessoais de usuários

São Paulo — O grupo hacker AntiSec diz ter em mãos identificações de aparelhos e dados pessoais de 12 milhões de usuários de produtos da Apple. Esses dados teriam sido roubados do FBI, a polícia federal americana, que, segundo os hackers, vinha rastreando usuários de iPhone e outros dispositivos móveis da Apple.

O AntiSec, um grupo ligado ao Anonymous, divulgou sua façanha no Twitter. Para comprovar que tem mesmo as informações, os hackers publicaram dados de cerca de 1 milhão de usuários. Numa página no site Pastebin, junto com os links para acesso aos dados, há um longo texto criticando o FBI e outras instituições governamentais.

Os hackers defendem pessoas como Julian Assange; o soldado Manning, que forneceu informações confidenciais ao WikiLeaks; e as cantoras do trio Pussy Riot, que estão presas na Rússia. Ao falar da amostra de dados publicada, o grupo demonstra alguma preocupação em não expor demais os usuários: “Nós excluímos da amostra informações pessoais como nomes, números de celular e endereços”, diz o texto.

O AntiSec também descreve, em detalhes, como os dados teriam sido roubados do FBI: “Durante a segunda semana de março de 2012, um notebook Dell Vostro, usado pelo supervisor e agente especial Christopher K. Stangl, do FBI, foi invadido usando uma vulnerabilidade do Java.”

O relato prossegue: “Alguns arquivos foram baixados e um deles continha uma lista de 12 milhões de dispositivos móveis da Apple. Os dados incluíam o identificador único do dispositivo (UDID), nomes de usuários, números de celulares, endereços etc.” O AntiSec questiona a posse desses dados pelo FBI que, segundo os hackers, estaria rastreando usuários de dispositivos Apple.