Governo compra 600 mil laptops para programa de ensino

Investimento para o programa Um Computador por Aluno pode chegar a R$ 213 milhões

São Paulo – O governo pode gastar R$ 213 milhões com a compra de até 600 mil laptops para o programa Um Computador por Aluno (UCA). A aquisição é resultado de um pregão eletrônico de registro de preços realizado sem alardes e que teve a Positivo Informática como vencedora, na terça-feira (5).

Reportagem de Luís Osvaldo Grossmann e Luiz Queiroz, do Convergência Digital, informa que o pregão foi dividido em dois lotes. O primeiro destinará 400 mil laptops às regiões Centro-Oeste, Norte e Sudeste; o outro levará 200 mil máquinas às regiões Nordeste e Sul.

A disputa foi aberta no dia 29 de setembro, mas precisou ser adiada porque os interessados não apresentavam propostas competitivas. Os poucos lances tinham valores extremamente altos, sendo que surgiram propostas de até R$ 3 mil por unidade. Apenas na última segunda-feira (4) é que os preços baixaram e alcançaram a casa dos R$ 400.

Foi aí que a Positivo conseguiu levar. O primeiro lote, a empresa venceu com o preço de R$ 344,18 por cada computador. A soma dos 400 mil revela que a compra deve alcançar o valor de R$ 137,6 milhões. Já o segundo lote saiu por R$ 376,94 unitário, podendo chegar aos R$ 75,3 milhões, por serem 200 mil máquinas.

Mas pode ser que o governo não adquira realmente tudo o que pediu. Como o pregão foi realizado dentro da modalidade de registro de preço, com validade de 12 meses, o fato de o fornecedor ter sido escolhido não obriga o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) a comprar tudo.

A negociação se refere à segunda etapa do UCA, que destina laptops a quem cursa o ensino básico da rede pública. Na primeira fase, 150 mil laptops foram comprados da Digitalbras/CCE ao preço de R$ 550 cada – um total de R$ 82,5 milhões.

Leia outras notícias sobre a Positivo Informática

Siga as notícias de Tecnologia do site EXAME no Twitter