Em testes, tecnologia resolve maior problema de carros elétricos

Veículos sem motor de combustão podem atingir maior alcance com tecnologia que está a três anos de chegar ao mercado

São Paulo — Conhecida por seus processadores para smartphones, a Qualcomm também investe no desenvolvimento de carros elétricos. Nesta semana, a empresa divulgou seus recentes testes com uma tecnologia que pode resolver o maior problema dos veículos sem motor de combustão: a autonomia.

Usando uma espécie de trilho, a companhia conseguiu transmitir energia para um carro em movimento, permitindo, desse modo, que ele possa atingir maiores distâncias sem a necessidade de combustíveis fósseis ou de parar para carregar. Essa tecnologia é chamada de Qualcomm Halo.

O teste foi feito em Versalhes, na França, em um trecho de 100 metros pelos quais percorreram dois carros Renault Kangoo. As baterias de 20 quilowatts receberam energia nesse trajeto.

Quatro pontos de carregamento foram instalados nessa pista, um a cada 25 metros. O limite de velocidade para a transferência energética para o carro é de 100 kmh.

Não há necessidade de contato do veículo com o solo, a energia é transmitida para o ar e pode abastecer tanto carros de passeio comuns quanto aqueles que são mais altos, como as SUVs.

Essa tecnologia ainda está a dois ou três anos de chegar ao mercado. Com ela, menos postos de carregamento seriam necessários, ainda que o custo de implementação nas rodovias seja potencialmente alto.

A novidade também pode facilitar a adoção de carros sem motoristas em estradas no futuro.

A Qualcomm ganhou fama com os seus chips para smartphones, mas investe na Fórmula E (corrida de carros elétricos) e recentemente comprou a fabricante de semicondutores para automóveis NXP Semiconductors. Aliás, o problema da autonomia dos veículos elétricos fica evidente na Fórmula E. Em vez de abastecer o veículo rapidamente no pitstop, é preciso trocar de carro para que a corrida continue, por conta do longo tempo necessário para a recarga.

Veja o vídeo da Qualcomm no qual a empresa explica a tecnologia Halo e sua importância.

*Com informações da Agência Reuters