Dígito a mais vai dobrar capacidade de números de celulares

A capacidade de numeração celular da região vai passar dos atuais 44 milhões para 90 milhões

Brasília – Começa a valer no domingo (29) a resolução da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) que determina a inclusão do dígito 9 à frente de todos os números de telefones celulares da área 11, que engloba 64 municípios de São Paulo, inclusive a capital. Com isso, a capacidade de numeração celular da região vai passar dos atuais 44 milhões para 90 milhões.

Atualmente, são utilizados mais de 42 milhões de números, ou seja, próximo do limite da capacidade. Segundo o gerente de Interconexão da Anatel, Adeilson Nascimento, desde 2008 a agência previa o esgotamento iminente da numeração na região. A resolução que determinou a inclusão de mais um dígito passou por consulta pública em 2010.

Com a mudança, todas as ligações feitas para celulares da área 11 a partir de domingo deverão ser acrescidas do dígito 9 antes do número do telefone. Haverá um período de transição, até o dia 7 de agosto, no qual a chamada será completada normalmente, mesmo sem o novo dígito. “Se houver esquecimento, ou se o usuário utilizar a agenda do celular que ainda não está atualizada, a chamada poderá ser completada por um determinado tempo”, explicou Nascimento à Agência Brasil.

Depois disso, começa um período em que as ligações serão gradualmente interceptadas e receberão uma mensagem explicando as mudanças. Ficará a cargo das operadoras decidir se, depois da mensagem, a ligação será completada ou interrompida. Depois do dia 15 de janeiro de 2015, nenhuma ligação sem o dígito 9 será completada.

A inclusão de mais um dígito vai permitir o uso de numerações atualmente iniciadas por 2, 3, 4 e 5, que hoje só são utilizadas na telefonia fixa. Nesta etapa, todos os números de celulares vão receber o dígito 9. “Eventualmente, no futuro, depois de esgotada a capacidade novamente, poderá ser possível adotar um outro número inicial”, disse o gerente da Anatel.